Notícia

Folha do Amapá online

Mandioca vira plástico comestível

Publicado em 29 agosto 2007

Um plástico biodegradável, comestível e com propriedades antibacterianas à base de amido de mandioca e açúcares está em fase de desenvolvimento pela Escola Politécnica (Poli) da Universidade de São Paulo (USP). A pesquisadora Cynthia Ditchfield, que defende tese de pós-doutorado sob supervisão da professora Carmen Tadini disse, em entrevista à Agência Fapesp, que usou o amido da mandioca como matéria-prima considerando que o Brasil é o segundo maior produtor mundial do tubérculo. "Será uma forma interessante de agregar valor", disse.

A busca de um plástico biodegradável é uma tendência mundial para reduzir o lançamento de material plástico no meio-ambiente. O Brasil consome cerca de 4 milhões de toneladas de plástico anualmente e recicla apenas 16,5% desse total, de acordo com a Associação Brasileira de Embalagens. A estimativa para a decomposição desses materiais no ambiente é de cerca de cem anos.

Além de reduzir lixo, a invenção poderá reduzir os conservantes sintéticos dos alimentos, devido à ação antimicrobiana obtida com a adição de cravo e canela que são antimicrobianos naturais. "O produto ganha mais tempo de vida útil", informou a pesquisadora.

Nos testes até agora realizados, o plástico altera a cor do alimento, indicando as condições do alimento. "Esse indicador de pH pode dar segurança ao consumidor de que o produto não está estragado ou passou por más condições. A embalagem também pode indicar, por exemplo, se um produto está em boas condições, ainda que a validade tenha expirado", explicou a pesquisadora.

Por enquanto, o produto está em fase de testes de laboratório e há boas indicações, mas para chegar ao mercado ainda há um longo caminho a percorrer. No entanto, é uma pesquisa que chama a atenção da indústria especialmente por usar produtos de baixo custo e todos os ingredientes usados na fabricação — a mandioca, a sacarose e os compostos antimicrobianos — são produzidos e exportados pelo Brasil, o que agregaria valor a produtos nacionais.