Notícia

Bem Paraná online

Vulcões na origem

Publicado em 06 dezembro 2007

Por Agência FAPESP

O conhecimento sobre a Lua aumentou consideravelmente a partir da década de 1960


Estudo publicado na Nature indica que a atividade vulcânica na Lua começou há mais de 4 bilhões de anos, pouco depois da formação do satélite Agência FAPESP — O conhecimento sobre a Lua aumentou consideravelmente a partir da década de 1960, com as missões tripuladas. Mas a origem e a evolução do satélite continuam gerando controvérsia científica.

Uma pesquisa feita por um grupo internacional acaba de indicar que a atividade vulcânica, uma das principais questões relacionadas à evolução lunar, começou há 4,35 bilhões de anos, pouco antes da origem do satélite.

O estudo, publicado na edição desta quinta-feira (6/12) da revista Nature, foi coordenado por Kentaro Terada, da Universidade de Hiroshima e envolveu pesquisadores do Japão, Alemanha e Reino Unido.

Para avaliar a idade da atividade vulcânica, os autores dataram minerais de um meteorito lunar denominado Kalahari 009. Alguns deles foram associados com fragmentos de magma cristalizado provenientes das primeiras erupções nas vastas planícies lunares.

O Kalahari 009, uma rocha de 13,5 quilos, foi descoberto em Botsuana em 1999, e sua datação foi feita a partir de cinco grãos de fosfato encontrados no fragmento.

Outras amostras de rochas lunares coletadas durante as missões do Programa Apolo (coordenado pela agência espacial norte-americana entre 1961 e 1972) foram avaliadas como produtos de erupções mais recentes, segundo os cientistas.

Como as mais antigas dessas amostras tinham cerca de 3,9 bilhões de anos, estimava-se que essa seria a data do início da atividade vulcânica lunar. Os pesquisadores consideram provável que o vulcanismo tenha começado quando a crosta estava em formação. De acordo com eles, "o Kalahari 009 é a primeira amostra de magmatismo basáltico da Lua e revela uma assinatura oculta da história primitiva lunar".

Se a atividade vulcânica começou há 4,35 bilhões de anos, ela precede o último grande bombardeio cósmico sobre a superfície lunar, que teria ocorrido há cerca de 3,9 bilhões de anos.

O artigo Cryptomare magmatism 4.35 Gyr ago recorded in lunar meteorite Kalahari 009, de Kentaro Terada e outros, pode ser lido por assinantes da Nature em www.nature.com.