Notícia

DCI

Programa dissemina tecnologia para micros

Publicado em 09 novembro 2002

Por Regina Maia
Duas vans, cada qual com equipamentos no valor de R$ 350 mil, vão circular a partir de março do próximo ano pelo Estado de São Paulo em busca de micros e pequenas empresas do setor de borracha que queiram aumentar sua eficiência e competitividade no mercado. As unidades móveis fazem parte do Projeto de Unidades Móveis de Atendimento Tecnológico (Prumo) de Borracha, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). O projeto é realizado em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisada do Estado de São Paulo (Fapesp). Segundo Roberto Garcia, gerente do Prumo, o objetivo do projeto é solucionar problemas existentes no chão da fábrica. A maior parte das empresas busca aumento de produtividade, maior competitividade, menor índice de refugo, treinamento de pessoal e matéria-prima mais barata com mesmas características técnicas e mecânicas, segundo Garcia. "Hoje, 56% das micros e pequenas empresas morrem antes do terceiro ano de existência por falta de inovação tecnológica", diz. A expectativa do Prumo Borracha 6 realizar 16 atendimentos por mês (oito por unidade) nos próximos dois anos. Para cada atendimento serão investidos R$ 3,3 mil. Desse valor, R$ 2,4 mil serão bancados pelo Sebrae e o restante será de responsabilidade do IPT. Os equipamentos para os laboratórios móveis e o veículo foram concedidos pela Fapesp. Cerca de 50% dos instrumentos são importados. A entidade teve de atrasar o envio dos recursos devido à alta do dólar. Segundo Garcia, a Fapesp trabalhava com orçamento baseado no dólar a R$ 2,30 e foi pega de surpresa quando a moeda alcançou os R$ 4. Por isso, houve atraso no início do Prumo Borracha, que deveria entrar em vigor ainda este ano, de acordo com Garcia. Além do Prumo Borracha, o IPT ainda oferece o serviço de unidades móveis para as empresas de plásticos e de metais para tratamento de superfícies.