Notícia

DCI

Mostra aborda temática atual e educadora

Publicado em 14 março 2008

Com o objetivo de promover a educação no País por meio do ensino de ciências, o Instituto Sangari, com mais de 50 anos de história e atuante em 15 países, mostra pela primeira vez na América Latina sua exposição "Revolução Genômica". Situada no Pavilhão Armando de Arruda Pereira, no Parque do Ibirapuera (antiga sede do Prodam), amostra foi aberta no último dia 28 de fevereiro.

Por sua genialidade, o evento já atraiu, mundialmente, cerca de 900 mil visitantes, que, em sua maioria, comentam terem saído da exposição com maior entendi mento e gosto pelo assunto. "O interessante em tudo isso é que nosso propósito consiste em ir além do ensino, tomando o público mais questionador a respeito do tema e oferecendo, através de biólogos e biomédicos, nossos guias locais, explicações mais aprofundadas", comentou Carlos Henri que Brito, presidente da Fapesp, um dos órgãos que apóiam o projeto.

Ao todo, dois mil metros quadrados de área estão divididos em três seções, todas adaptadas à realidade brasileira. No "Grande Salão do DNA" há instalações especiais que mostram diversidades de organismos de várias maneiras. Há fotografias, filmes, animais vivos e empalhados, além de projeções que vão do panorama macro ao micro, e, por fim, a grande célula, que consiste em uma célula gigante em que o visitante entra e observa como funciona o interior de uma célula real, dando a impressão de um elo de ligação coma segunda seção. Nessa parte, denominada "A Era do Genoma", o espectador aprende sobre identidade genética, testes e tecnologias utilizadas para curar certas doenças. Há também a "Estação Mutação" ,na qual se pode manipular o DNA de uma mosca. A terceira parte, "Genética dos Alimentos", traz informações sobre a importante contribuição de cientistas brasileiros no Projeto Genoma, e, além de outras novidades, conta com um laboratório voltado para crianças e adolescentes, onde se pode extrair o código genético de um morango através da utilização de materiais específicos.

"Temos, durante a exposição, monitores que servem como guias para professores do ensino médio que não sabem onde buscar informações sobre os assuntos de destaque da mostra", explica a doutora Eliana Dessen, co-curadora da exposição.

O comitê científico do projeto é bem amplo, contando com quatro biólogos, três médicos, um matemático, um físico e um engenheiro. Como co-curadoras da mostra, estão Mônica Teixeira, autora da coleção Folha Explica "O projeto Genoma Humano" e Eliana Dessen, coordenadora de educação e difusão do Centro de Estudos do Genoma Humano (Cedip-Fapesp).

Ao longo do tempo, os planos do Instituto Sangari visam a unir a parte científica com a história natural dos povos e dos lugares. "Nossa meta a longo prazo é realizar cada vez mais exposições itinerantes como esta, que já esteve cidades como Nova York e Hong Kong. Nossa programação está estruturada até meados do ano de 2010, com a apresentação de ex posições temáticas que tratam de assuntos como mudanças climáticas, grandes mamíferos e até dinossauros", explica Bianca Rinzler, diretora executiva do instituto Sangari.

Para a realização do evento, que possui um acervo com valor estimado em R$ 4,5 milhões, o Instituto Sangari conta com parceria do Museu de História Natural de Nova York e com o patrocínio do Banco Bradesco e da Volkswagen do Brasil.

Como co-patrocinadores estão a farmacêutica EMS, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz e as empresas CanaVialis e a Alellyx, ambas controladas pela Votorantim Novos Negócios. Além disso, conta com o apoio de Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Rede de informação Tecnológica do Estado de São Paulo (Ritla), Ministério da Educação, Governo e Prefeitura do Estado de São Paulo, Fundação Bradesco e Editora Abril.

Serviço:

Revolução Genômica — Pavilhão Armando de Arruda Pereira (antiga sede do Prodam), à Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº; no Parque do Ibirapuera, Portão 10. Até o dia 13 de julho. Horários: de segunda a sexta-feira, das 9hàs 19h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h. Preços: R$ 15 (inteira) e R$ 7,00 (meia); escolas e grupos agendados: R$ 10,00 e escolas públicas agendadas, entrada gratuita. No primeiro domingo de cada mês, a entrada (a todos os visitantes) é gratuita. Thais De Barros