Notícia

Estadão.com

LETRAS IMAGINÁRIAS

Publicado em 03 março 2012

WILSON ALVES-BEZERRA   A invenção de autores, literaturas e até países têm na literatura de língua espanhola uma tradição invejável. Borges a inaugurou com força na década de 1940; mais recentemente, escritores como o catalão Enrique Vila-Matas e o chileno Roberto Bolaño (1953-2003) se valeram do mesmo expediente. Chega agora ao Brasil uma obra que de algum modo se inscreve nessa tradição: a Antologia Hede (1954), do advogado, poeta e tradutor argentino Manuel Graña Etcheverry. O livro se refere a uma suposta civilização [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.