Notícia

Bem Paraná online

Hubble ganha nova vida

Publicado em 04 dezembro 2006

Por Agência FAPESP

Agência FAPESP

Sinal verde para o Hubble — e alívio para astrônomos em todo o mundo. A Nasa, agência espacial norte-americana, anunciou na terça-feira (31/10) uma nova missão para realizar reparos e levar instrumentos ao telescópio espacial.
A decisão de Michael Griffin, administrador da Nasa, vai contra a postura do ocupante anterior do cargo máximo na agência. Após o desastre com o ônibus espacial Colúmbia, em fevereiro de 2003, que resultou na morte de sete astronautas, Sean O'Keefe havia cancelado qualquer missão para o Hubble, preferindo deixar os vôos seguintes do ônibus espacial — até a aposentadoria do veículo, que deverá ocorrer até o fim da próxima década — exclusivamente para completar a Estação Espacial Internacional (ISS).
Os astronautas da Test Servicing Mission 4 (SM4), prevista para 2008, levarão novas baterias e giroscópios para substituir os dispositivos que estavam quebrados ou no limite de funcionamento. Sem a troca, a estimativa é que o Hubble deixaria de operar em 2009 ou 2010, podendo até mesmo reentrar na atmosfera por conta da falta de estabilidade provocada pelos giroscópios quebrados.
Novos instrumentos também estarão na bagagem do shuttle, como um espectrógrafo para estudo da estrutura e composição de galáxias e gases intergalácticos e uma nova câmera para ampliar a capacidade de observação do Universo.
Com a câmera WFC3, capaz de observar em múltiplas ondas luminosas, como infravermelho e ultravioleta, a Nasa espera fazer com que o Hubble continue surpreendendo com novas descobertas até cerca de 2013, quando o novo telescópio espacial James Webb deverá estar funcionando.
"O Hubble se tornará uma máquina de descobertas científicas ainda mais impressionante", disse Ed Ruitberg, diretor do departamento de astrofísica do Centro de Vôo Espacial Goddard, da Nasa. A agência aponta que, com os reparos e novos instrumentos, o telescópio operará de 10 a 100 vezes melhor em diversas áreas.
Esta será a quinta missão de manutenção do Hubble. Desde o lançamento, em 1990, o telescópio espacial, em órbita a 600 quilômetros de altitude, tornou-se um dos mais importantes instrumentos na história da astronomia. Entre os feitos do Hubble estão a medição da idade do Universo e a descoberta de buracos negros no centro de diversas galáxias.
Mais informações: http://hubblesite.org