Notícia

Envolverde

Conquista de cérebros

Publicado em 03 agosto 2010

Por Fábio de Castro, da Agência Fapesp

Mais de 60 estudantes de pós-graduação em ciências da computação brasileiros e estrangeiros tiveram a chance de interagir com alguns dos principais especialistas no mundo na área de processamento e visualização de imagens.

Realizada na capital paulista entre os dias 12 e 17 de julho, a São Paulo Advanced School in Computing Image Processing and Visualization (Escola São Paulo de Ciência Avançada em Processamento e Visualização de Imagens Computacionais) foi organizada pelo Instituto de Matemática e Estatística (IME) da Universidade de São Paulo (USP), pelo Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação (ICMC), do campus da USP em São Carlos (SP), e pelo Instituto de Computação (IC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Com coordenação de Carlos Eduardo Ferreira, professor do Departamento de Ciências da Computação do IME-USP, o curso foi organizado no âmbito da Escola São Paulo de Ciência Avançada (ESPCA) - modalidade de apoio lançada pela FAPESP em 2009 de modo a criar oportunidades para que pesquisadores de São Paulo realizem cursos com a participação de especialistas internacionais e que tragam ao Estado jovens estudantes ou pós-doutores de outras regiões e países, possibilitando a interação com estudantes e pesquisadores locais e o debate de temas científicos avançados.

O evento cumpriu as expectativas dos organizadores, atraindo interessados de 14 países. A área de processamento e visualização de imagens, de acordo com Ferreira, vem ganhando crescente importância, à medida que pesquisas de uma vasta gama de áreas - que vão da astronomia à medicina - geram quantidade cada vez maior de dados, que precisam ser processados e apresentados aos usuários, o que requer o desenvolvimento de elaboradas interfaces para visualização.

A programação incluiu cinco minicursos, diversas palestras e apresentações institucionais dos programas de pós-graduação das universidades estaduais paulistas e da FAPESP.

Foram discutidos temas como "Análise e classificação de formas: abordagem estrutural e aplicações", "Processamento de imagens utilizando grafos" e "Análise visual de dados multidimensionais", entre outros.

"Para participar do evento, 40 estudantes tiveram apoio financeiro, sendo 13 brasileiros de fora da cidade de São Paulo e 37 estrangeiros da Argentina, Canadá, Chile, Estados Unidos, França, México, Reino Unido, Suécia, Grécia, Cuba, Peru, Uruguai e Venezuela. Outros 22 estudantes participaram por conta própria", disse Ferreira à Agência FAPESP.

Do total de 62 participantes, seis eram pesquisadores, 37 eram estudantes de doutorado, 19 de mestrado. Além da procedência e nível de formação, a diversidade dos estudantes também se refletiu nas áreas de atuação. Segundo Ferreira, essa é uma característica típica das áreas de fronteira de conhecimento como o processamento e a visualização, que têm inúmeras aplicações importantes em diversos campos.

"Tivemos 39 estudantes provenientes das áreas de programação, ciências da computação e matemática aplicada. Outros 15 trabalham com engenharia elétrica, controle de sistemas e robótica. Os oito restantes são do segmento de bioinformática, engenharia biomédica e ciências da vida", explicou.

De acordo com Ferreira, a expectativa agora é que, depois de participar do curso, alguns dos estudantes estrangeiros e de outros Estados brasileiros venham a se interessar por cursos de pós-doutorado nas instituições que organizaram o evento.

"A parte mais importante é que notamos a formação de um ambiente de pesquisas perfeitamente adequado ao que projetamos. Os estudantes tiveram uma interação muito intensa entre si e com os professores. Vários dos participantes disseram que virão trabalhar conosco. Esperamos agora que essas expectativas se confirmem", afirmou.

Próxima Escola

Além da programação científica, Ferreira destacou as palestras apresentadas, durante o curso, por Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, e por Claudia Bauzer Medeiros, professora do Instituto de Computação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e membro da coordenação da área de Ciência e Engenharia da Computação da FAPESP.

"As participações dos especialistas foram de alto nível, resultando em um intenso debate entre eles e com os alunos. Os estudantes apresentaram trabalhos e puderam ter retorno por parte de grandes especialistas da área. Já atualizamos no site do evento todas as palestra e transparências apresentadas. Com isso, estamos disponibilizando um material muito rico", afirmou.

O evento teve a participação de docentes como Jayaram Udupa, do Departamento de Radiologia da Universidade da Pensilvânia (Estados Unidos), Alexandru Telea, do Departamento de Matemática e Ciência da Computação da Universidade de Groningen (Holanda), Roberto Marcondes Cesar Junior, do IME-USP - que é um dos membros da Coordenação da área de Ciência e Engenharia da Computação da FAPESP -, Alexandre Falcão, do IC-Unicamp, e Maria Cristina de Oliveira, Agma Traina e Rosane Minghim, as três do ICMC-USP.

O comitê organizador já está planejando a próxima edição do curso. "Nosso plano inicial era promover a Escola a cada dois anos, mas ficamos tão contentes com o resultado que já estamos discutindo a realização anual. Na próxima, queremos escolher um tema da computação que seja tão interessante como as áreas de processamento e imagens", disse Ferreira.

Mais informações: http://www.vision.ime.usp.br/~mh/SP-ASC/index.html

(Envolverde/Agência Fapesp)