Notícia

UNOESTE - Universidade do Oeste Paulista

Zootecnia Unoeste é centro de excelência em pesquisa

Publicado em 20 junho 2018

Garantir a qualidade dos alimentos de origem animal, aumentar a produtividade e a rentabilidade na criação de diferentes espécies, e cuidar da boa alimentação e bem-estar dos animais são algumas das funções do zootecnista. Para que tudo isso seja colocado em prática com excelência, as pesquisas científicas são essenciais, pois, além de descobrir novas tecnologias, confirmam as práticas já desenvolvidas na área. É justamente por esses motivos que a Zootecnia Unoeste investe em infraestrutura de ponta e incentiva a produção de estudos científicos, alguns, inclusive, com financiamento de agências de fomento.

Quando os alunos Victor José Gomes, Marcus Vinicius de Almeida e Diego Azevedo Teixeira ingressaram no curso de Zootecnia, eles nem imaginavam que poderiam ser pesquisadores já na graduação. Hoje, prestes a iniciarem no 7º termo, comemoram a oportunidade e trabalham na segunda fase do estudo que realizam em parceria com a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), com bolsa pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Orientados pelo pesquisador da agência – polo regional Alta Sorocabana – Presidente Prudente, Dr. Vander Bruno dos Santos, eles desenvolvem estudos diferentes que se complementam, pois estão relacionados ao peixe da espécie tilápia das Filipinas.

O interessante no caso do trio é que a pesquisa tornou-se mais uma afinidade entre eles. Amigos de infância, Gomes e Teixeira pensavam em fazer direito, no entanto, ao ser estimulado por um tio que é da área das agrárias, Gomes decidiu pela Zootecnia e chamou o amigo, o qual convidou Almeida que, na época, era seu colega de trabalho. “Foi tudo no susto, um chamando o outro”, relembram. E eles garantem que tomaram a decisão certa, pois estão no 2º melhor curso de Zootecnia do Brasil e o único particular que alcançou conceito máximo (5), no último ciclo avaliativo do Ministério da Educação (MEC). “Com certeza sairemos daqui prontos para a profissão. Colocar no currículo que somos formados na Unoeste terá um peso a mais”, acredita Gomes.

E sobre a área da pesquisa, afirmam que pretendem dar continuidade e até almejam ingresso em mestrado e doutorado. “A infraestrutura da universidade é excelente e o incentivo que temos para o desenvolvimento de estudos científicos é primordial”, afirmam os jovens. De fato, a infraestrutura é um dos grandes diferenciais desta graduação. Corpo docente qualificado; áreas para atividades práticas e de pesquisa, como a Fazenda Experimental e o Centro Zootécnico; além de inúmeros laboratórios com equipamentos de última geração, como o caso do mais recente Laboratório de Produção In Vitro de Embriões (Pive), onde são desenvolvidos trabalhos de ensino, pesquisa e capacitação técnica na área de biotecnologia da reprodução.

A professora responsável pelo espaço, Dra. Sheila Merlo Garcia Firetti, destaca que a implantação do laboratório trouxe à universidade grande avanço tecnológico e científico na área, colocando a Unoeste entre os centros de excelência em pesquisa e desenvolvimento dessa biotecnologia. “No âmbito do ensino em zootecnia, poucas instituições têm a possibilidade de integrar o aprendizado do conhecimento em melhoramento genético com a aplicação prática, da maneira como pode ser realizado aqui. O laboratório possibilita ao aluno de graduação ensino de excelência, mediante os programas de iniciação científica, nessa reconhecida área de elevado grau tecnológico”.

Ela explica que, atualmente, estão em andamento três projetos de pesquisa, envolvendo estudantes de Zootecnia e dois do mestrado em Ciência Animal da universidade. “Todos estão relacionados aos processos envolvidos na produção in vitro de embriões e buscam aprimorar a técnica e melhorar os resultados dessa biotecnologia”. Revela ainda que, as rotinas do laboratório encontram-se em processo de padronização para que, futuramente, seja possível a produção de embriões bovinos que serão transferidos no rebanho da universidade.

Notícia disponibilizada pela Assessoria de Imprensa da Unoeste