Notícia

Secretaria de Ensino Superior (SP)

Workshop Sul-Americano de Mediação em Museus e Centros de Ciência

Publicado em 01 setembro 2008

Estarão no evento representantes dos museus e centros do Brasil, Colômbia, Uruguai e Chile

 

Com objetivo de estimular e concretizar cooperações entre as organizações da América do Sul, o Workshop Sul-Americano de Mediação em Museus e Centros de Ciência será realizado de 1º a 3 de setembro, no Rio de Janeiro.

No evento, representantes de museus e centros do Brasil, Colômbia, Uruguai e Chile irão mostrar as diferentes facetas de cada uma de suas instituições, compartilhar iniciativas de acessibilidade e inclusão social e discutir a identidade e as diferenças na formação do mediador, profissionais que fazem a interface do museu com a sociedade.

No mesmo período, de 3 a 6 de setembro, ocorrerá ainda a Escola de "Mediação em Museus e Centros de Ciência", que também contará com mesas-redondas, palestras e oficinas práticas de mediação, ministradas por representantes de diferentes instituições internacionais.

Os dois encontros integram as comemorações dos dez anos do Museu da Vida da Casa de Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Exemplos

O Museu Exploratório de Ciências da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) é um exemplo de interatividade com o público. O circo itinerante sobre nanociência e nanotecnologia, conhecido como NanoAventura é um dos projetos do Museu. A experiência foi desenvolvida por professores e pesquisadores da Unicamp e do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), em parceria com a Prefeitura Municipal de Campinas e com o Instituto Sangari, e que conta com o apoio da Fundação Vitae e da Fapesp. O objetivo da NanoAventura é apresentar conceitos aparentemente difíceis da nanotecnologia de forma atraente e diversificada.

A oficina Desafio, outro projeto desenvolvido pelo Museu visa estimular os estudantes a desenvolver soluções tecnológicas com as próprias mãos de uma maneira divertida. O projeto conta com uma oficina ambulante – um caminhão equipado com bancadas e artefatos que vai até a escola, parque e/ou instituição pré-agendada e o espaço é montado.

A Estação Ciência – USP é um centro de ciências interativo que realiza exposições e atividades nas áreas de Astronomia, Meteorologia, Física, Geologia, Geografia, Biologia, História, Informática, Tecnologia, Matemática, Humanidades, além de cursos, eventos e outras atividades, com o objetivo de popularizar a ciência e promover a educação científica de forma lúdica e prazerosa. O público anual é de mais de 400 mil pessoas, entre escolares e público geral.

O Museu Escola da UNESP atende a necessidade de adequar a linguagem científica para os alunos da região de Presidente Prudente. O Museu, que reúne peças arqueológicas e indígenas, no campus de Presidente Prudente, é um dos projetos beneficiados pelo Programa Permanente de Divulgação da Ciência na UNESP, vinculado à Vice-Reitoria.

O local abriga um acervo com cerca de 98 mil peças arqueológicas, datadas de mil a 7 mil anos atrás. Elas pertenciam a duas populações bastante diferenciadas. A mais antiga delas, formada por coletores-caçadores, utilizava pedra lascada em suas atividades. A mais recente, era de lavradores e ceramistas.

Além da visita monitorada, os alunos assistem a duas apresentações. Na "Hora da Lenda", fantoches representam uma lenda dos índios e mostram artefatos por eles utilizados. Já em "Hora da Música", eles cantam a música Na Crista da Onda, com letra adequada à realidade indígena.

(não confirmado apoio FAPESP)