Notícia

Agência C&T (MCTI)

Workshop inicia as atividades do INCT Namitec

Publicado em 09 fevereiro 2009

Hoje (9) e amanhã (10) a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), sedia o Workshop Namitec, evento que objetiva planejar a organização dos trabalhos do recém criado Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Sistemas Micro e Nanoeletrônicos (INCT Namitec).

O Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI/MCT) é a instituição sede do Instituto, que reúne ainda outras 22 instituições de pesquisa e mais de 132 pesquisadores espalhados por todo o Brasil.

O INCT Namitec tem um escopo de atuação abrangente em microeletrônica, com pesquisas e ações no estudo de redes de sensores, projeto de circuitos integrados, estudos de dispositivos, tecnologias de fabricação, formação de recursos humanos e transferência de tecnologia para o setor produtivo.

Previsto para durar cinco anos, o INCT Namitec terá orçamento superior a R$ 7,1 milhões para o primeiro triênio. O montante é dividido entre a Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (Fapesp) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT).

Com área de atuação extensa, as pesquisas de sensores de redes sem fio, por exemplo, têm diversas aplicações agropecuárias, em que os sensores eletrônicos monitoram grandezas como umidade, pH e temperatura, fornecendo para os agricultores informações precisas e pontuais sobre irrigação e fertilização de precisão. Esta pesquisa é conduzida em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Existem, ainda, redes de sensores semelhantes para rastreamento animal, armazenamento de grãos e monitoramento ambiental.

Além destas aplicações práticas, o Namitec também concentra esforços no desenvolvimento e fabricação de sensores e circuitos integrados – os chips. Nesta área, ocorrerão estudos para desenvolver técnicas e ferramentas de automação de projetos de circuitos integrados. Além disto, o projeto terá pesquisa em materiais e técnicas de micro e nanofabricação, fundamentais para a produção dos dispositivos e circuitos integrados.

O professor Jacobus Swart, diretor do CTI e coordenador do projeto Namitec desde a sua primeira fase, acredita que esta nova etapa será bastante produtiva. "O Namitec nasceu como um dos projetos do Instituto do Milênio. Agora, com um funcionamento em rede, a intenção é aumentar a interação e a soma de esforços para se obter melhores resultados em menor tempo. Ao fim do projeto, esperamos entregar novos dispositivos, técnicas, processos de fabricação de dispositivos, sobretudo sensores, e novas metodologias de desenvolvimento de circuitos integrados e novas aplicações de redes inteligentes de sensores, com diversas aplicações para agricultura e medições climáticas, entre outras", conta.

Assessoria de Imprensa do CenPRA