Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP) online

Wilson Marini: Vem aí a fábrica de vacina antidengue em São Paulo

Publicado em 26 setembro 2016

Por Wilson Marini

Agora é oficial. Até o primeiro semestre de 2017, deve estar equipada e preparada para começar a funcionar a primeira fábrica brasileira dedicada à produção da vacina contra a dengue, no Instituto Butantan, em São Paulo. Quem confirma é o diretor do instituto, Jorge Kalil. 

A vacina foi desenvolvida pelo órgão em parceria com o Instituto Nacional de Saúde dos EUA. No momento, o produto está em teste de campo. Dos 17 mil voluntários previstos para participar dos testes clínicos da última fase de estudos antes que a vacina possa ser submetida à avaliação da Anvisa para registro (a fase 3), 1.200 pessoas já receberam doses, em centros de pesquisa na capital e em São José do Rio Preto, além de outros estados. 

Os dados foram divulgados nesta semana pelo Protec - portal Pró-Inovação na Indústria Brasileira e avalizados pela agência Investe SP. Segundo a divulgação, a fábrica também poderá ser usada na produção de uma futura vacina contra o vírus da zika. A capacidade será de 30 milhões de doses de vacina de dengue por ano. Hoje, o Instituto Butantan já produz as vacinas de dengue que vêm sendo usadas nos testes clínicos por uma unidade menor, com capacidade de 500 mil doses por ano.

Tradição
O Instituto Butantan foi fundado em 1901 e é reconhecido mundialmente por seu trabalho com animais peçonhentos. É um destacado centro de pesquisa biomédica, com 2 mil funcionários e 30 laboratórios.

A vacina
Segundo o Protec, a vacina do Butantan é feita com os próprios vírus da dengue, que foram modificados para que a pessoa desenvolva anticorpos contra os quatro sorotipos da dengue sem desenvolver os sintomas. Bastará uma dose para que ela seja eficaz. Em paralelo, o Brasil tem disponível comercialmente uma vacina contra dengue desenvolvida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur, a Dengvaxia. 

Sem sal
O sal poderá desaparecer das mesas dos restaurantes do Estado de São Paulo, se for aprovada proposta do deputado estadual Cezinha de Madureira (DEM). Ele se baseia em estudos sobre os problemas de saúde causados pelo consumo exagerado de sal na alimentação, como hipertensão arterial e insuficiência renal. "Tirar o sal de cozinha de perto do consumidor é uma das formas mais eficazes de combater o excesso de sódio, já que não haverá o estímulo ao consumo", diz ele. “Diminuir o consumo de sal será um avanço para a sociedade e um benefício para a saúde". Será que o projeto passa?

Eleições de domingo
Faltam apenas sete dias para as eleições aos cargos de prefeito e vereador em todo o país. A previsão é de que o tempo médio de votação neste 2 de outubro não ultrapasse um minuto. Os candidatos a prefeito são identificados por dois dígitos e os candidatos a vereador, por cinco. Leve a sua “colinha” para facilitar, e cumpra com integridade o seu direito à escolha dos futuros representantes. Que vençam os melhores.


A Opa Sucos anunciou esta semana uma fábrica em Americana, segundo o jornal O Liberal, da Rede APJ. A empresa está em processo de aquisição do prédio e dos equipamentos da Del Valle, que deixou o município no primeiro semestre. E no Vale do Paraíba, depois dos aviões, os carros elétricos podem se tornar o principal produto de exportação de São José dos Campos nos próximos anos, de acordo com O Vale (Rede APJ). O engenheiro Ozires Silva aposta na viabilidade de a região abrigar uma montadora nacional desse tipo de veículo.

Inovação
Quatro empresários do Interior Paulista lançaram aplicativo que se propõe a ajudar as duas pontas de um negócio on-line: quem compra e quem vende. De um lado, permite ao consumidor saber exatamente o dia em que receberá uma encomenda. De outro auxilia os próprios estabelecimentos ao favorecer a diminuição das re-entregas. Trata-se do “JáTá Chegando”, enfim um sistema de gerenciamento de entregas. O rastreamento é feito a partir de geolocalização. As informações são enviadas à plataforma on-line, na qual o consumidor consegue visualizar em tempo real onde está a encomenda, até mesmo da refeição comprada por meio do serviço de delivery.

E mais
● A empresa de defensivos UPL, da Índia, investirá R$ 1 bilhão em unidade para a síntese e produção de agroquímicos no Brasil. Não há local definido. O Estado de São Paulo é candidato.

● A UPL também firmou parceria com a Embrapa para desenvolver variedades de lentilha no Brasil para futura exportação. Os investimentos serão de US$ 150 milhões.

● “A Tribuna”, de Santos, divulgou que o governo federal iniciará as obras de readequação ao acesso à margem direita do cais santista, em 2017. 

● A Mercedes-Benz do Brasil anunciou a construção de uma pista de testes e centro de desenvolvimento de novos produtos no País. 

● A Fapesp oferece R$ 15 milhões para apoiar ideias inovadoras apresentadas por pessoas ligadas a empresas com até 250 empregados. 

● Os custos de geração de energia renováveis já são, na média mundial, inferiores aos dos combustíveis fósseis e as usinas de energia limpa se tornarão ainda mais competitivas em 2020, segundo estudo da Carbon Tracker Initiative, de Londres.