Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP) online

Wilson Marini: Fundação Seade divulga investimentos no Estado

Publicado em 03 março 2016

Por Wilson Marini

 

A Fundação Seade acaba de divulgar a Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado de São Paulo, que busca identificar as tendências da economia em São Paulo, apontando os setores e regiões que mais se destacaram. Em 2014, os investimentos anunciados no Estado totalizaram US$ 36,5 bilhões, o que significou aumento de 31,8% em relação ao valor apurado em 2013 (US$ 27,7 bilhões). A infraestrutura representou dois terços do (US$ 24,4 bilhões), seguindo-se a indústria (US$ 5,8 bilhões), serviços (US$ 5,2 bilhões) e comércio (US$ 1,1 bilhão).
Infraestrutura
A infraestrutura é um ramo fundamental na promoção dos investimentos no Estado, pois 43,8% deles estão ligados a empresas públicas e 19,4% a concessionárias ou parceiras do setor privado. Os transportes alcançaram novo recorde de participação na infraestrutura (74,7%, ou US$ 18,2 bilhões), especialmente o modal terrestre, pelos investimentos na expansão da rede metro-ferroviária, que visam melhorar a mobilidade urbana.
Indústria e Serviços
Entre 2013 e 2014, os investimentos na indústria diminuíram, em termos relativos (de 19,6% para 15,8%), porém cresceram, em valores absolutos (de US$ 5,4 bilhões para U$ 5,8 bilhões). Nos dois anos, as principais influências positivas vieram dos ramos de outros equipamentos de transporte (aviões) e de veículos automotores. O montante destinado aos serviços avançou 38,2%, de US$ 3,8 bilhões, em 2013, para US$ 5,2 bilhões, em 2014. As atividades imobiliárias, ainda liderando o setor, reduziram sua participação à metade (de 53,1% para 26,3%), ao contrário dos três segmentos subsequentes: saúde (de 4,5% para 22,7%), atividades esportivas (de 0,9% para 12,1%) e pesquisa e desenvolvimento (de 5,6% para 11,6%).
Regiões
Mais de 60% do total de 2014 destinaram-se à Região Metropolitana de São Paulo (US$ 22,5 bilhões), que predominou em quase todos os setores, exceto na indústria, onde foi superada pela Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. No primeiro semestre de 2015, as informações preliminares, ainda sujeitas a confirmação, identificaram 302 investimentos com um montante de US$ 29,5 bilhões, 64,2% deles em infraestrutura. Isso representa redução de 17,4% em relação ao primeiro semestre de 2014 (US$ 35,7 bilhões), mas expansão de 39,3% em relação a igual período de 2013 (US$ 21,2 bilhões).
Sorocaba
Apenas a Região Administrativa de Sorocaba, composta de 47 cidades, recebeu um total de R$ 2,5 bilhões (US$ 642,5 milhões) de investimentos em 2014, de acordo com a pesquisa. O valor seria maior se duas empresas tivessem confirmado os investimentos: a chinesa Foxconn, em Itu, e a chinesa Metro¬Shacman, em Tatuí, adiados devido à crise econômica.
Agriculturas Paulistanas
A Secretaria Estadual de Agricultura anunciou o programa “Agriculturas Paulistanas” que visa incentivar os produtores da região metropolitana de São Paulo, proteger e recuperar os recursos hídricos e a biodiversidade, estimular a reutilização de resíduos orgânicos através de processos de compostagem e aumentar a oferta de produtos agroecológicos para a população da capital, promovendo a economia solidária e a segurança alimentar.
Águas
Projeto de lei do deputado estadual Celso Nascimento (PSC) obriga as empresas concessionárias de geração de energia hidrelétrica, públicas e privadas, a investirem no mínimo 1% do valor total de sua receita operacional para promover programas de proteção e preservação ambiental das bacias hidrográficas em todo o Estado. O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de energia hidrelétrica, atrás da China e do Canadá, em virtude da riqueza dos rios com grandes extensões (detém cerca de um terço da água doce do planeta).
Pesquisa
Com um jato capaz de voar a 15 quilômetros de altitude, um grupo internacional de pesquisadores identificou onde é produzida a maior parte das partículas microscópicas (aerossóis) que ajudam a formar as nuvens de chuva da Amazônia, a maior floresta tropical do planeta. Os dados foram publicados pela revista Pesquisa, da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Voos realizados em agosto e setembro de 2014 mediram a composição química e as características físicas das nuvens e verificaram que os aerossóis se formam mais próximo ao topo das nuvens, acima de 8 quilômetros de altura, nas regiões de floresta preservada. “Procuramos os mecanismos de formação dessas partículas por 20 anos”, afirmou Paulo Artaxo, físico da USP. Informações captadas por radares, satélites e sondas meteorológicas indicam que existem dois padrões de nuvens de chuva na Amazônia: as que se formam sobre as regiões de floresta preservada e as que se originam sobre áreas com poluentes urbanos ou de queimadas, segundo o meteorologista Luiz Augusto Machado, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).
Cidadãos ativos
Sete sugestões de novas leis ou emendas à Constituição propostas por cidadãos estão em análise no Parlamento em Brasília. São ideias legislativas apresentadas e apoiadas por internautas por meio do portal e-Cidadania, canal de interação entre o Senado e o cidadão. Entre maio de 2012 e 25 de fevereiro de 2016, foram realizadas mais de 4 mil propostas feitas por 3 mil pessoas. Ao todo, nove ideias já alcançaram o apoio de 20 mil pessoas, número que deve ser conquistado em até quatro meses. Essa é a exigência para a iniciativa ser avaliada. Entre as sugestões em análise, estão a que regulamenta o aborto até as 12 primeiras semanas de gravidez e a que sugere a regulamentação do uso recreativo, medicinal e industrial da maconha. Outro instrumento de participação popular é o espaço “Consulta Pública”. Ali, o cidadão pode expressar sua opinião, contrária ou favorável, sobre cada proposição em tramitação no Senado.
Em pauta
- A obesidade infantil é tema de CPI que pretende investigar o aumento do número de casos nos últimos anos na Assembleia Legislativa de São Paulo.
- A deputada Márcia Lia (PT) foi designada pela mesa diretora da Assembleia para a Ouvidoria da casa.
- Cezinha de Madureira (DEM) batalha para tornar obrigatório o cadastramento de aparelhos celulares e chips das operadoras de telefonia móvel.
- Estevam Galvão (DEM) quer garantir às crianças de zero a seis anos acesso à saúde, alimentação e nutrição, educação infantil, convivência familiar e comunitária.

A Fundação Seade acaba de divulgar a Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado de São Paulo, que busca identificar as tendências da economia em São Paulo, apontando os setores e regiões que mais se destacaram. Em 2014, os investimentos anunciados no Estado totalizaram US$ 36,5 bilhões, o que significou aumento de 31,8% em relação ao valor apurado em 2013 (US$ 27,7 bilhões). A infraestrutura representou dois terços do (US$ 24,4 bilhões), seguindo-se a indústria (US$ 5,8 bilhões), serviços (US$ 5,2 bilhões) e comércio (US$ 1,1 bilhão).

Infraestrutura

A infraestrutura é um ramo fundamental na promoção dos investimentos no Estado, pois 43,8% deles estão ligados a empresas públicas e 19,4% a concessionárias ou parceiras do setor privado. Os transportes alcançaram novo recorde de participação na infraestrutura (74,7%, ou US$ 18,2 bilhões), especialmente o modal terrestre, pelos investimentos na expansão da rede metro-ferroviária, que visam melhorar a mobilidade urbana.

Indústria e Serviços

Entre 2013 e 2014, os investimentos na indústria diminuíram, em termos relativos (de 19,6% para 15,8%), porém cresceram, em valores absolutos (de US$ 5,4 bilhões para U$ 5,8 bilhões). Nos dois anos, as principais influências positivas vieram dos ramos de outros equipamentos de transporte (aviões) e de veículos automotores. O montante destinado aos serviços avançou 38,2%, de US$ 3,8 bilhões, em 2013, para US$ 5,2 bilhões, em 2014. As atividades imobiliárias, ainda liderando o setor, reduziram sua participação à metade (de 53,1% para 26,3%), ao contrário dos três segmentos subsequentes: saúde (de 4,5% para 22,7%), atividades esportivas (de 0,9% para 12,1%) e pesquisa e desenvolvimento (de 5,6% para 11,6%).

Regiões

Mais de 60% do total de 2014 destinaram-se à Região Metropolitana de São Paulo (US$ 22,5 bilhões), que predominou em quase todos os setores, exceto na indústria, onde foi superada pela Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. No primeiro semestre de 2015, as informações preliminares, ainda sujeitas a confirmação, identificaram 302 investimentos com um montante de US$ 29,5 bilhões, 64,2% deles em infraestrutura. Isso representa redução de 17,4% em relação ao primeiro semestre de 2014 (US$ 35,7 bilhões), mas expansão de 39,3% em relação a igual período de 2013 (US$ 21,2 bilhões).

Sorocaba

Apenas a Região Administrativa de Sorocaba, composta de 47 cidades, recebeu um total de R$ 2,5 bilhões (US$ 642,5 milhões) de investimentos em 2014, de acordo com a pesquisa. O valor seria maior se duas empresas tivessem confirmado os investimentos: a chinesa Foxconn, em Itu, e a chinesa Metro¬Shacman, em Tatuí, adiados devido à crise econômica.

Agriculturas Paulistanas

A Secretaria Estadual de Agricultura anunciou o programa “Agriculturas Paulistanas” que visa incentivar os produtores da região metropolitana de São Paulo, proteger e recuperar os recursos hídricos e a biodiversidade, estimular a reutilização de resíduos orgânicos através de processos de compostagem e aumentar a oferta de produtos agroecológicos para a população da capital, promovendo a economia solidária e a segurança alimentar.

Águas

Projeto de lei do deputado estadual Celso Nascimento (PSC) obriga as empresas concessionárias de geração de energia hidrelétrica, públicas e privadas, a investirem no mínimo 1% do valor total de sua receita operacional para promover programas de proteção e preservação ambiental das bacias hidrográficas em todo o Estado. O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de energia hidrelétrica, atrás da China e do Canadá, em virtude da riqueza dos rios com grandes extensões (detém cerca de um terço da água doce do planeta).

Pesquisa

Com um jato capaz de voar a 15 quilômetros de altitude, um grupo internacional de pesquisadores identificou onde é produzida a maior parte das partículas microscópicas (aerossóis) que ajudam a formar as nuvens de chuva da Amazônia, a maior floresta tropical do planeta. Os dados foram publicados pela revista Pesquisa, da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Voos realizados em agosto e setembro de 2014 mediram a composição química e as características físicas das nuvens e verificaram que os aerossóis se formam mais próximo ao topo das nuvens, acima de 8 quilômetros de altura, nas regiões de floresta preservada. “Procuramos os mecanismos de formação dessas partículas por 20 anos”, afirmou Paulo Artaxo, físico da USP. Informações captadas por radares, satélites e sondas meteorológicas indicam que existem dois padrões de nuvens de chuva na Amazônia: as que se formam sobre as regiões de floresta preservada e as que se originam sobre áreas com poluentes urbanos ou de queimadas, segundo o meteorologista Luiz Augusto Machado, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Cidadãos ativos

Sete sugestões de novas leis ou emendas à Constituição propostas por cidadãos estão em análise no Parlamento em Brasília. São ideias legislativas apresentadas e apoiadas por internautas por meio do portal e-Cidadania, canal de interação entre o Senado e o cidadão. Entre maio de 2012 e 25 de fevereiro de 2016, foram realizadas mais de 4 mil propostas feitas por 3 mil pessoas. Ao todo, nove ideias já alcançaram o apoio de 20 mil pessoas, número que deve ser conquistado em até quatro meses. Essa é a exigência para a iniciativa ser avaliada. Entre as sugestões em análise, estão a que regulamenta o aborto até as 12 primeiras semanas de gravidez e a que sugere a regulamentação do uso recreativo, medicinal e industrial da maconha. Outro instrumento de participação popular é o espaço “Consulta Pública”. Ali, o cidadão pode expressar sua opinião, contrária ou favorável, sobre cada proposição em tramitação no Senado.

Em pauta

- A obesidade infantil é tema de CPI que pretende investigar o aumento do número de casos nos últimos anos na Assembleia Legislativa de São Paulo.

- A deputada Márcia Lia (PT) foi designada pela mesa diretora da Assembleia para a Ouvidoria da casa.

- Cezinha de Madureira (DEM) batalha para tornar obrigatório o cadastramento de aparelhos celulares e chips das operadoras de telefonia móvel.

- Estevam Galvão (DEM) quer garantir às crianças de zero a seis anos acesso à saúde, alimentação e nutrição, educação infantil, convivência familiar e comunitária.