Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP) online

Wilson Marini: Estado de São Paulo reage à crise, garante agência

Publicado em 07 março 2016

Por Wilson Marini

O País está em crise, mas São Paulo mostra sinais de reação. A tese é da Investe São Paulo, agência a serviço do governo do Estado, e foi divulgada esta semana. “Esta pode ser a conclusão, até dos mais céticos, ao examinarem aagenda de confirmação de investimentos e inaugurações de empreendimentos”, afirma nota oficial da entidade, referindo-se à programação até maio “deste ano difícil de 2016”. 

Ao todo, são oito investimentos que somam R$ 1 bilhão e 754 milhões e que vão gerar 2.605 empregos diretos no Interior Paulista. “O fato está na contramão do noticiário, mas é real e confirma o poder de atratividade de investimentos do estado, que tem 44 milhões de consumidores, duas vezes e meia o PIB da Argentina e éresponsável por 72% setor de pesquisa e desenvolvimento no País”, prossegue a agência paulista. 

O presidente da Investe SP, Juan Quirós, está otimista. Ele afirma que o investidor estrangeiro faz planos a médio e longo prazos e, quando vê que sua moeda quase quadruplicou, mantém e até amplia o investimento: “O Brasil está mais barato e nosso mercado consumidor não vai desaparecer, mas aumentar. O investidor pesquisa cenários futuros e sabe que vamos nos reerguer”. 

Investimentos
A Investe SP afirma que o quadro configura “tendência de expansão dos investimentos para o interior do Estado”. Uma das inaugurações, no dia 23 de março, será a da fábrica da Mercedes Benz em Iracemápolis, que aplicou R$ 500 milhões e criou cerca de 1.000 novos empregos diretos. No dia 30, será o início de produção da fábrica da Hyundai Rotem, em Araraquara, que significou um aporte de R$ 99 milhões, gerando 300 empregos diretos. Dia 10 de maio será a inauguração da fábrica de motores da Toyota, em Porto Feliz - investimento de R$ 1 bilhão e 600 empregos diretos. Os demais investimentos localizam-se em Jundiaí, Itapetininga, Taubaté, Campinas e Valinhos.

Prospecção
Além dos investimentos anunciados, há a prospecção de novos negócios. Nesse aspecto, em janeiro deste ano São Paulo teve melhor desempenho em relação ao mesmo mês do ano passado - R$ 28,2 bilhões contra R$ 763 milhões em 2015. As empresas devem assinar em breve termos de parceria e confidencialidade com a Investe SP. Elas têm a expectativa de gerar, juntas, 22.700 empregos diretos. Os nomes não foram revelados. Sabe-se apenas que são companhias de países como Turquia e Estados Unidos e que atuam nas áreas de saúde, logística e autopeças, entre outras.

Frase
Do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Márcio França, sobre o cenário de investimentos empresariais no Interior Paulista: “Aqui não há surpresas. O investidor tem condições de projetar cenários de cinco, dez, 20 anos para os seus negócios, sem sustos”.

Em defesa
38 mil advogados do Estado e outros cidadãos que contam com a assistência jurídica gratuita prestada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) há mais de 30 anos. No entanto, no final de 2015, houve problemas com o pagamento dos advogados por falta de repasse ao Fundo de Assistência Judiciária (FAJ). Para tentar contornar o problema, o governador Alckmin enviou à Assembleia projeto de lei que nomeia a Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania como a responsável pela administração dos recursos. 

Satisfação nos AMEs
Pesquisa de satisfação divulgada pela secretaria estadual da Saúde aponta que os AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) do governo do Estado têm altos índices de aprovação dos pacientes. A média geral das 52 unidades de todo o Estado é de 96,8% de aprovação. A pesquisa é feita mensalmente. No ano passado, cerca de 69 mil usuários dos ambulatórios responderam às pesquisas.

Doenças modernas
O deputado estadual Milton Vieira (PSD) propõe a criação de programa de prevenção e orientação sobre os riscos causados à coluna pelo uso incorreto de smartphones e tablets. Segundo ele, o ato de mover a cabeça para baixo ao verificar o dispositivo, durante longos períodos, pode causar pressão na coluna cervical que levaria a danos permanentes. Nos EUA, foi criado o termo text neck para se referir à inclinação na coluna causada pelo uso dos aparelhos eletrônicos. 

Genéricos
O governador Alckmin assinou decreto que reduz a alíquota do ICMS em operações com medicamentos genéricos de 18% para 12%. 

Doenças raras
A cada dez mil pessoas, 1,3 mil são acometidas pelas chamadas doenças raras, 80% das quais têm como causa alterações genéticas. Elas são geralmente crônicas, graves e degenerativas. Em São Paulo, Carmela Glinder é a coordenadora de projeto do governo que visa implantar programa preventivo no Estado. 

Lactose
Projeto de lei do deputado Jorge Wilson Xerife do Consumidor (PRB) visa a distribuição gratuita de leite com fórmulas infantis especiais para crianças lactentes na rede pública de saúde do Estado. A intolerância à lactose é uma deficiência do organismo causada pela ausência ou deformidade da enzima intestinal lactase, responsável pela decomposição do carboidrato do leite, a lactose. O consumo de leite comum por crianças portadoras dessa deficiência pode resultar em diarreia, vômitos e perda de peso. 

Gênero
Teresina (Piauí) adotará o dia 11 de outubro como o Dia Municipal das Meninas. Pode ser um exemplo às demais cidades. O objetivo é garantir políticas públicas a favor das meninas. No mundo, é evidente o quanto as desigualdades de gênero afetam negativamente a vida das meninas e as colocam em desvantagem em relação aos meninos, afirma Viviana Santiago, especialista em Gênero da Plan International Brasil. “Por isto, marcar a data como sendo o Dia da Menina é um caminho para garantir políticas públicas que busquem acabar com estas diferenças”.

Pesquisa
Pesquisadores da USP e da Unicamp, liderados pelo físico Caetano Miranda, mostraram, por meio de simulações em computador, que nanopartículas de sílica poderiam melhorar a recuperação de petróleo em poços no mar ou no continente, segundo a revista Pesquisa, da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). A média de retirada de óleo dos reservatórios é de 35%. O restante fica preso dentro de rochas porosas no interior do poço. As companhias petrolíferas injetam água, nitrogênio e dióxido de carbono (CO2) nos poços para empurrar o óleo em direção à sonda para ser extraído. A nanopartícula de sílica pode representar uma vantagem em relação ao que é injetado hoje por alterar a fluidez entre o óleo, a água salgada e a rocha dentro do poço, o que propiciaria que mais petróleo possa ser retirado.