Notícia

Mix Vale

Webinar gratuito aborda potencial dos extratos fenólicos como ingredientes saudáveis

Publicado em 30 junho 2020

Com transmissão nesta quarta-feira (1º), evento online integra série de conteúdos fruto de parceria entre Ital, Unicamp e USP

Promovida pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, a série Ingredientes Saudáveis para Alimentos e Bebidas estará de volta na próxima quarta-feira (1º), às 16h, com webinar gratuito dedicado aos extratos fenólicos, suas fontes alternativas e efeitos na saúde e os desafios na aplicação. O interessado em participar deve realizar a inscrição para receber os links das transmissões.

Com parceria da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (FEA-Unicamp) e da Escola de Engenharia de Lorena da Universidade de São Paulo (EEL-USP), a iniciativa tem a mediação da pesquisadora e vice-diretora do Ital, Gisele Camargo, e contará desta vez com a professora Juliana Macedo, que atua na área de Ciências de Alimentos e Nutrição da FEA-Unicamp, e as pesquisadoras Silvia Moura e Patrícia Blumer Zacarchenco, que trabalham, respectivamente, no Centro de Tecnologia de Frutas e Hortaliças (Fruthotec) e no Centro de Tecnologia de Laticínios (Tecnolat) do Ital.

“Será uma oportunidade de esclarecer por que os compostos fenólicos hoje são entendidos como bioativos e não antinutricionais. Quando provenientes de resíduos agrícolas os extratos fenólicos podem ter baixo custo e favorecem a integração de toda a cadeia produtiva agroalimentar. Estamos modificando-os com processos biotecnológicos e precisamos transformá-los em ingredientes”, afirma Juliana Macedo, engenheira de alimentos, doutora em Ciências de Alimentos com pós-doutorado em Ciências da Saúde, na área de Farmacologia e Biologia Celular.

Produtos saudáveis

Doutora em Engenharia de Alimentos e pesquisadora há 25 anos no Ital com foco em elaboração de produtos saudáveis, funcionais e com maior valor agregado, Silvia Moura falará sobre as possibilidades de aplicação de fenólicos levando em conta a instabilidade dos bioativos às condições de estocagem e processo, além da interação entre os ingredientes, tomando como exemplo a elaboração de balas de goma. “Uma alternativa de manutenção da funcionalidade desses compostos pode ser a microencapsulação”, comenta.

Patrícia Zacarchenco abordará as dificuldades e possibilidades de aplicação em quatro categorias de produtos lácteos: queijos, queijos fundidos, iogurtes e bebidas lácteas fermentadas e sorvetes. “Entre os desafios, estão a incorporação dos extratos vegetais e a estabilidade durante a estocagem”, detalha a pesquisadora, doutora em Tecnologia de Alimentos e atua há 13 anos no Ital com ênfase em tecnologia de laticínios.

Outras edições

A série estreou abordando os lipídeos especiais, com centenas de visualizações no canal do YouTube e na página do Facebook da Mentto, que apoia a iniciativa junto à Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia. A gravação pode ser conferida também no canal do YouTube do Ital. Até o fim de julho ainda serão transmitidos webinars sobre proteínas doces e fibras (15) e proteínas vegetais (29).

As áreas abordadas compõem a Plataforma Biotecnológica Integrada de Ingredientes Saudáveis (PBIS), parceria do Ital com a Unicamp e a USP envolvendo consórcio de empresas, cuja proposta de implantação está em fase de avaliação pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) para integrar os Núcleos de Pesquisa Orientada a Problemas em São Paulo (NPOP-SP), no âmbito do Programa Ciência para o Desenvolvimento.

“Nosso objetivo é viabilizar a aplicação de processos biotecnológicos sustentáveis para produção de alimentos e bebidas através da integração dos sistemas produtivos, do incentivo ao uso de matérias-primas nacionais e do aproveitamento de subprodutos e descartes”, ressalta a vice-diretora do Ital.

Sobre o Ital

O Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) promove atividades de pesquisa, desenvolvimento, assistência tecnológica, inovação e difusão do conhecimento nas áreas de embalagem e de processamento, conservação e segurança de alimentos e bebidas.

Fundado em 1963 e situado em Campinas, o Ital é vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, e conta com unidades técnicas especializadas em produtos cárneos, de panificação, cereais, chocolates, balas, confeitos, laticínios, frutas, hortaliças, termoprocessamento e embalagens; 15 plantas-piloto especializadas em processamento de alimentos e bebidas e de avaliação do desempenho de embalagens; e 35 laboratórios de análise e ensaios, além do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) e da Plataforma de Inovação Tecnológica, especializada em estudos de tendências de mercado e de prospecção de oportunidades e demandas de inovação.

É certificado na norma NBR ISO 9001 e possui ensaios acreditados na norma ISO/IEC 17025 pela Cgcre/Inmetro. Outras informações estão disponíveis no site http://www.ital.agricultura.sp.gov.br.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Notícias de Campinas Portal do Governo do Estado de São Paulo