Notícia

A Voz da Cidade online

Volta Redonda participa de pesquisa nacional sobre índice de infecção por Covid-19

Publicado em 21 janeiro 2021

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), através de seu Departamento de Medicina, realizará em Volta Redonda o chamado EPICOVID 19-BR 2, que consiste em um estudo de base populacional, e Inquérito Nacional de Soroprevalência de Acesso Expandido. A pesquisa, que tem como objetivo realizar testes sorológicos de forma gratuita para saber a prevalência de infecção da Covid-19, acontecerá a partir da próxima segunda-feira, dia 25 e contará com a participação de voluntários de 18 bairros. Volta Redonda está na quinta fase da pesquisa. Nas quatro primeiras quase 100.000 pessoas de 133 municípios participaram da iniciativa, que é custeada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Com o estudo será possível, estimar o percentual de brasileiros infectados com o SARS-CoV-2 por idade, gênero, condição econômica, município e região geográfica; determinar o percentual de assintomáticos; avaliar sintomas e letalidade, além de oferecer subsídio para políticas públicas e medidas de isolamento social.

Em Volta Redonda, os bairros pré-selecionados foram São Luiz; Santo Agostinho; Vila Americana; Casa de Pedra; Belo Horizonte; Santa Rita do Zarur; Santa Cruz; Ponte Alta; Siderlândia; Água Limpa; Vila Rica; Vila Mury; Monte Castelo; Sessenta; Conforto; Retiro; Eucaliptal e 249.

As visitas serão realizadas por um técnico do Laboratório Anaclin devidamente identificado e com crachá da pesquisa EPICOVID 19. Serão coletadas amostras de sangue para a identificação dos anticorpos SARS- CoV-2 da classe IgG presentes no soro e aplicado um questionário e termo de consentimento a cada voluntário. Nas oito casas de cada bairro, selecionadas aleatoriamente, todos os moradores que quiserem serão testados para a identificação de anticorpos contra o SARS-CoV-2. Estes testes permitirão aos moradores saberem se já tiveram contato com o vírus e se desenvolveram resposta de anticorpos ao mesmo, indicando proteção eventual.

A pesquisa é coordenada nacionalmente pelo pesquisador da UNIFESP Professor Dr Marcelo N. Burattini e nela os participantes da pesquisa respondem a um formulário com 15 questões sobre escolaridade, cor da pele, atividade econômica e condições de saúde e realizam o teste.

O estudo EPICOVID-19 BR 2: Inquérito Nacional de Soroprevalência de Acesso Expandido representa o final do projeto EPICOVID-19 BR e será o mais importante da série de quatro fases realizada até agora. “Ele é o mais importante porque acontece em um momento estratégico ao final do primeiro ano da epidemia e antes do início da vacinação de massa. Também porque representará a avaliação de aproximadamente 149.280 indivíduos nos 133 municípios pré-selecionados, equivalente a acréscimo de 50% nos indivíduos testados em relação às quatro fases anteriores conjuntas”, diz Burattini.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
A Voz da Cidade