Notícia

Náutica

Volta ao mundo oceânica reúne mais de 400 pesquisadores de diversos países

Publicado em 10 janeiro 2011

Por Letícia de Freitas

No próximo dia 13 de janeiro, um navio espanhol fará no Rio de Janeiro a primeira escala de uma viagem iniciada em 15 de dezembro de 2010 em Cádiz, na Espanha, cujo roteiro inclui, além da capital fluminense, mais nove cidades no mundo, como Sidney, na Austrália, e Honolulu, no Havaí.

Não se trata de mais um navio de cruzeiro que costuma aportar no litoral carioca nesta época do ano, mas de uma embarcação oceanográfica, o navio Hespéride, que integra a expedição de circunavegação Malaspina 2010. Batizada com o nome do capitão de fragata da marinha espanhola Alejandro Malaspina - que em julho de 1789 iniciou a primeira expedição de circunavegação ibérica e cuja morte completou 200 anos em 2010 -, o objetivo da expedição é realizar um estudo multidisciplinar para avaliar os impactos das mudanças globais e a biodiversidade dos oceanos.

Para isso, os mais de 400 pesquisadores de diversos países que participam do projeto realizarão, ao longo dos próximos nove meses, experimentos em 350 pontos diferentes e recolherão 70 mil amostras de ar, água e plâncton da superfície e das profundezas dos oceanos.

As amostras, além das imagens e informações coletadas durante a expedição, serão reunidas em um banco de dados que será mantido na Universidade de Cádiz, na Espanha, durante os próximos 30 anos. O acervo poderá ser acessado para pesquisa pela comunidade científica internacional.

"Por meio dessa expedição, avançaremos muito no entendimento sobre os impactos das mudanças globais nos oceanos, porque ainda sabemos muito pouco sobre eles. Os oceanos já mudaram muito nos últimos anos e isso será evidenciado nessa expedição", disse Alex Enrich Prast, professor do Departamento de Ecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), à Agência FAPESP.

Jornada

Financiada pelo Ministério de Ciência e Inovação da Espanha ao custo de mais de 6 milhões de euros, a expedição percorrerá 49 mil milhas náuticas (pouco mais de 88 mil quilômetros).

Do Brasil, o navio oceanográfico seguirá em 17 de janeiro para a Cidade do Cabo, na África do Sul, de onde irá para Perth e Sidney, na Austrália, e Auckland, na Nova Zelândia. De lá, a embarcação rumará para Honolulu, no Havaí, depois para a Cidade do Panamá, até chegar a Cartagena de Índias, na Colômbia, onde terminará a sua participação, em julho de 2011, quando retornará à Espanha.

De Cartagena das Índias partirá outro navio oceanográfico, o Sarmento de Gamboa, que realizará durante três meses a travessia de Las Palmas de Grand Canária, na Espanha, a Santo Domingo, na República Dominicana, finalizando a expedição.

Em cada cidade que faz parte do roteiro da expedição serão realizadas visitas guiadas aos navios oceanográficos, além de conferências sobre o projeto, as consequências das mudanças climáticas nos oceanos e a importância das pesquisas marinhas.

No Rio de Janeiro, a conferência será realizada no dia 14 de janeiro, às 18h, no Instituto Cervantes de Botafogo. O evento terá a participação do comandante do Hespéride, Juan Antonio Aquillar Cavanillas, além do chefe científico do navio, o pesquisador Pep Gasol, e dos pesquisadores brasileiros que participam da expedição.

A visita guiada ao Hespéride ocorrerá no dia 15 de janeiro, no Píer Mauá, das 8h30 às 17h. Os interessados devem se inscrever até 12 de janeiro pelo e-mail malaspinario@gmail.com. As vagas são limitadas.

Mais informações sobre a Conferência recepção.rio@cervantes.es ou pelo telefone (21)3554-5910.