Notícia

ComputerWorld online

VMware compra participação em provedor de serviços de cloud

Publicado em 03 junho 2009

Por Rodrigo Caetano

São Paulo - Foi a primeira vez que a empresa de virtualização investiu em computação em nuvem. Objetivo é fomentar a adoção ao cloud computing.

A VMware, fornecedora de software para virtualização, investiu em uma empresa de que presta serviços de computação em nuvem. A companhia comprou 20 milhões de dólares em ações da Terremark, ou cerca de 5% da companhia que oferece infraestrutura de tecnologia no modelo de serviços, usando o conceito de cloud computing.

Foi o primeiro investimento da VMware no segmento de serviços cloud. Até o momento, a companhia vinha fazendo aquisições que tinham o objetivo de agregar tecnologias e funcionalidades ao seu portfólio, como explica Arlindo Maluli, gerente de vendas da empresa para o Brasil e América do Sul.

“Nós queremos fomentar o mercado de cloud computing, não somente oferecendo a tecnologia que viabiliza o conceito, mas também injetando recursos”, declarou o executivo em apresentação feita durante o Virtualization Fórum, evento da companhia que está sendo realizado em São Paulo.

Por trás da aquisição, existe ainda outro componente: a Terremark é cliente da VMware e construiu sua oferta sobre o vSphere 4, sistema operacional para a computação em nuvem recém-lançado pela companhia e que é o carro chefe dos seus produtos. Para a estratégia da empresa, é muito importante que os fornecedores de serviços cloud adotem a sua tecnologia.

Essa estratégia está baseada na ideia de se construir nuvens internamente nas empresas que possam ser conectadas a nuvens externas oferecidas pelos prestadores de serviços. O vSphere funciona como uma camada de software que desconecta sistemas operacionais, rede e aplicativos da infraestrutura de hardware das corporações. Com isso, a empresa pode manter parte de sua capacidade computacional em seu próprio data center (nuvem interna), e transferir outra parte para o prestador de serviço.

“Uma empresa que usa o Vsphere pode, hoje, deslocar 20% de sua infraestrutura, por exemplo, para a Terremark em minutos”, explica Maluli. O que permite esse tipo de capacidade é o fato da Terremark também utilizar o software da VMware. Atualmente, a empresa trava com a Microsoft, e seu sistema operacional para cloud computing, o Azure, uma batalha pela padronização dessa camada de software, fundamental para a adoção da computação em nuvem.

Segundo Maluli, a vantagem do vSphere, frente ao Azure, está no fato da VMware trabalhar no desenvolvimento de padrões abertos. “Nós damos liberdade aos clientes. Nosso software suporta qualquer sistema operacional. Nós suportamos mais versões dos sistemas da Microsoft que a própria Microsoft”, afirma.

A Terremark atua no Brasil com um data center localizado na cidade de São Paulo. A empresa possui uma parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) para o gerenciamento da NAP do Brasil, que oferece um ponto de troca de tráfego que conecta mais de 30 operadoras de telecomunicações e diversos ISPs (provedores de serviços de internet).