Notícia

GCN

Vida que inspira: história de pesquisadora vai virar filme

Publicado em 08 março 2018

Está confirmado! A professora e pesquisadora francana Joana D’Arc Félix Sousa, aos 54 anos, ganhará em breve um filme e um documentário sobre sua trajetória pessoal e profissional. Na última segunda-feira, dia 5 de março, a produtora Lucy Barreto, mãe dos cineastas Bruno e Fábio Barreto, veio direto do Rio de Janeiro e desembarcou em Franca para especialmente conhecer Joana e conversarem sobre a produção.

‘Ela fez várias anotações, passou o dia todo conhecendo minha rotina e a estrutura do Colégio Agrícola, mais especificamente os laboratórios em que eu atuo. Estou muito feliz com o cuidado que ela demonstrou que terá com minha história. Aos 86 anos de vida, ela demonstrou muita vitalidade, animação e entusiasmo com a primeira produção cinematográfica sobre a minha vida. Estou muito feliz’, destaca Joana.

Lucy Barreto é uma das mais importantes produtoras de filmes do País. Ela está à frente da LC Barreto e Filmes do Equador. São mais de 70 títulos produzidos, entre eles Terra em transe (1967), de Glauber Rocha, Bye bye Brasil (1980), de Carlos Diegues, Memórias do cárcere (1984), de Nelson Pereira dos Santos, e Inocência (1985), de Walter Lima Júnior. Além disso, seus filhos Bruno e Fábio já receberam indicações ao Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro.

A francana Joana é graduada em química, mestre e doutora pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e pós-doutora pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. De seu currículo, consta a criação de 13 novos materiais a partir de resíduos descartados pelas indústrias. Ela já criou até mesmo uma pele artificial similar à humana, feita a partir da derme de porcos, para ser usada em casos de queimaduras, além de colágeno para o tratamento de osteoporose e um cimento mais durável a partir do lodo descartado por curtumes.

A professora, que dá aulas no Colégio Agrícola e é assessora científica da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), é a única pesquisadora a ganhar pela terceira vez o prêmio do Conselho Regional de Química do Estado de São Paulo. Teve reconhecimento do governador do Estado, Geraldo Alckmin, e conquistou mais verba para ampliar as pesquisas no Colégio. São 62 prêmios conquistados até o momento. A pesquisadora ainda pretende cursar medicina e lançar tratamento inovador no combate ao câncer.

O cronograma da produção, escolha de elenco e início das imagens devem ser decididos ainda este mês, segundo Joana. Só assim será possível prever uma data de estreia do filme e documentário sobre a pesquisadora francana.

Joana foi eleita Personalidade 2017 pelo jornal O Globo. A cerimônia da premiação acontece no dia 28 de março, data prevista para o próximo encontro com Lucy, no Rio de Janeiro.

Compartilhando vivências

O Sesi Franca convidou a pesquisadora e professora Joana D’Arc Félix Sousa a participar no próximo dia 22 de março, das 19h30 às 21h, da Mesa Redonda Vivências e Reflexões Femininas. Na ocasião, a educadora Taís Pereira de Freitas e a pedagoga e fundadora da ONG Pedra Bruta - Lapidando Talentos Maria Lídia Borges Machado estarão presentes. O objetivo do evento é falar sobre as vivências e reflexões da mulher na sociedade. A entrada é gratuita. É preciso reservar o ingresso no site www.sesisp.org.br/meu -sesi.

Está confirmado! A professora e pesquisadora francana Joana D’Arc Félix Sousa, aos 54 anos, ganhará em breve um filme e um documentário sobre sua trajetória pessoal e profissional. Na última segunda-feira, dia 5 de março, a produtora Lucy Barreto, mãe dos cineastas Bruno e Fábio Barreto, veio direto do Rio de Janeiro e desembarcou em Franca para especialmente conhecer Joana e conversarem sobre a produção.