Notícia

Jornal Primeira Página online

VERTIGENS, mais uma obra de Wilson Alves-Bezerra

Publicado em 24 julho 2015

A Editora Iluminuras, no mercado há 27 anos, na vanguarda da literatura contemporânea, e especialmente da poesia e da literatura hispano-americana, está lançando Vertigens, do paulistano Wilson Alves-Bezerra. É uma coleção de 29 poemas em prosa, nos quais se destacam as imagens exuberantes e a sonoridade.

 

Nas palavras do autor do prefácio, o poeta e tradutor Claudio Willer, “é uma escrita do outro lado, radicalmente do avesso, antagônica com relação à linguagem instrumental. Por isso, análoga ao delírio”.

 

Vertigens se sucede à estreia de Wilson Alves-Bezerra na prosa curta, com o elogiado Histórias zoófilas e outras atrocidades (EDUFSCar/Oitava Rima, 2013). Segundo o próprio escritor, o elemento narrativo está presente também nesta coleção de poemas: “Embora seja um livro de poemas, há histórias que se contam entre as imagens encadeadas, de modo lacunar e cifrado, para cuja leitura o papel do leitor é fundamental.”

 

O professor de literatura hispano-americana da USP, Pablo Gasparini destaca, nas orelhas do livro, a presença da tradição latino-americana na obra: “Os fragmentos de Vertigens despejam as suas imagens a partir de uma erótica que mama de vários leites estrangeiros e, centralmente, da poesia como estrangeira da língua, ou da poesia entendida como exercício de ‘exílio’ da prosa. O resultado: um português gozosamente inventado e, portanto, desencaixado de todo imaginário de correção e regionalização, dúctil para acompanhar a fluência de cenas de uma corporalidade fugidia e nua.”

 

Sobre o autor:

 

Wilson Alves-Bezerra é escritor, crítico literário, tradutor e professor do Departamento de Letras da UFSCar, onde atua na graduação em Letras e na pós-graduação em Estudos de Literatura. Atualmente é Coordenador de Cultura da universidade. É doutor em literatura comparada pela UERJ, mestre em língua espanhola e literaturas espanhola e hispanoamericana pela USP. Tem um livro de contos - Histórias Zoófilas e outras atrocidades (EDUFSCar / Oitava Rima), também lançado na Casa das Rosas. Traduziu dois romances de Luis Gusmán – Pele e Osso (2009) e Hotel Éden (2013), ambos pela Iluminuras; sua tradução de Pele e Osso foi finalista do Prêmio Jabuti 2010 na categoria Melhor tradução literária espanhol-português. Traduziu ainda três livros de contos de Horacio Quiroga: Contos da Selva (2007), Cartas de um caçador (2007) e Contos de amor de loucura e de morte (2014), todos pela Iluminuras. Como ensaísta, lançou Reverberações da fronteira em Horacio Quiroga (Humanitas/FAPESP, 2008) e Da Clínica do Desejo a sua escrita (Mercado de Letras/FAPESP, 2012). Como resenhista na área de literatura tem textos publicados nos suplementos literários dos jornais O Globo, O Estado de São Paulo, Zero Hora, Jornal do Brasil, além do mexicano El Universal.