Notícia

Jornal da Unesp online

Varela é o novo presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp

Publicado em 13 fevereiro 2012

O governador Geraldo Alckmin nomeou nessa sexta-feira (10), o professor José Arana Varela, do Instituto de Química, Câmpus da Unesp de Araraquara, como diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo (CTA) da FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Varela é primeiro docente da Unesp a assumir o cargo e foi escolhido pelo governador a partir de uma lista tríplice elaborada pelo Conselho Superior da FAPESP para o preenchimento da vaga aberta em decorrência do falecimento do professor Ricardo Renzo Brentani. Varela foi eleito por unanimidade, com 11 votos, no primeiro escrutínio; compondo também a lista José de Souza Martins, com 10 votos e Hugo Aguirre Armelin, com 9 votos - ambos no segundo escrutínio.

A lista foi encaminhada pelo presidente da Fapesp, Celso Lafer, ao secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Alexandre Barbosa, que entregou a relação dos nomes ao governador Geraldo Alckmin, que ontem fez a escolha.

O Conselho Técnico-Administrativo da Fundação constitui sua diretoria executiva, formada pelo presidente, pelo diretor científico e pelo diretor administrativo. Com mandatos de três anos e possibilidade de reeleição, os diretores são indicados pelo governador, a partir de listas tríplices elaboradas pelo Conselho Superior.

Fapesp - A Fapesp é uma das principais agências de fomento à pesquisa científica e tecnológica do país. Com autonomia garantida por lei, está ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Governo do Estado de São Paulo. Com um orçamento anual correspondente a 1% do total da receita tributária do Estado, a Fapesp apóia a pesquisa e financia a investigação, o intercâmbio e a divulgação da ciência e da tecnologia produzida em São Paulo.

Varela - José Arana Varela é Professor Titular do Instituto de Química de Araraquara, desde 1995, Pesquisador 1 A do CNPq, Diretor da Agência Unesp de Inovação e Presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais SBPMat (2010-2012).

Graduado em Física pela Universidade de São Paulo (USP), com mestrado em Física pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e doutorado em Ciência de Materiais pela University of Washington.

Participa como pesquisador principal e coordenador em Inovação do Centro Multidisciplinar de Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos - Cepid/Fapesp.

É membro do Conselho Superior de Inovação e Competitividade - CONIC da FIESP, Membro Fellow da American Ceramic Society (USA), Membro da Materials Research Society (USA) e Membro da Sociedade Brasileira de Física.

Foi o primeiro Pró-Reitor de Pesquisa da Unesp (2005-2009) e membro e vice-presidente do Conselho Superior da Fapesp, membro da Coordenação de Área de Engenharia da Fapesp, membro do Comitê Assessor do CNPq, coordenador do Grupo Técnico em Novos Materiais do PADCT II, diretor da SBPMat e diretor da Associação Brasileira de Cerâmica.

Tem mais de 560 publicações em revistas científicas de circulação internacional. Seus artigos têm sido muito bem citados na literatura mundial, totalizando 6581 citações. Possui 12 patentes no Brasil e uma no exterior, e criou mais de 500 trabalhos apresentados em Congressos nos últimos 13 anos.

Orientou 66 estudantes de Pós Graduação (38 Doutores e 28 mestres) e supervisionou 12 pós-doutores (FAPESP e CNPq). A grande maioria desses profissionais está ocupando cargos de professores em várias universidades estaduais ou federais ou em direção de empresas.

Com a indústria, desenvolveu projetos e consultoria na Usiminas, na Companhia Siderúrgica Nacional com mais de 20 projetos de inovação, na White Martins (Brasil) e Praxair (USA), na Companhia 3 M e Balestros. Tem oito patentes depositadas com a CSN e uma patente internacional depositada com a Praxair. Foi um dos mentores para a criação da empresa spin-off: Nanox, empresa de base tecnológica em nanomateriais criada no laboratório LIEC do IQ-Unesp.

Suas principais contribuições internacionais incluem pesquisa em colaboração com cientistas de vários países tais como: Estados Unidos, Espanha, Portugal, Eslovênia, França, Servia, Argentina e Colômbia. Foi membro de uma rede ibero-americana em eletrocerâmica com a participação de pesquisadores dos seguintes países: Espanha, Portugal, Brasil, Argentina, Colômbia, Equador, Cuba e México. Recebeu em seu laboratório vários estudantes e pós-doutores internacionais (em torno de 20) da França, Portugal, Espanha, Alemanha, Eslovênia, Sérvia, Argentina e Colômbia. Participou em vários comitês organizadores de conferências internacionais incluindo.

Recebeu vários prêmios e honrarias, sendo as principais: Prêmio Epsilon de Ouro da Sociedade Espanhola de Cerâmica e Vidro e Prêmio Scopus Elsevier, pela sua contribuição para a ciência no Brasil.