Notícia

Correio da Paraíba online

Vantagem e utilização

Publicado em 08 agosto 2005

A vantagem dessas fibras é que elas já têm a cor próxima da cor natural dos dentes, além de ter uma resistência mecânica três vezes maior do que o material puro. Igor também afirma que, pelo constatado no laboratório, "existe a expectativa de vários outros usos na odontologia e a combinação dessas fibras com outros materiais que não as cerâmicas". Outra vantagem é que ela tem um custo relativamente inferior aos materiais que estão no mercado, pois os sistemas cerâmicos usados hoje no Brasil são todos importados e, portanto, muito caros. Assim, o uso das peças de cerâmica poderão ser ampliados. Igor observa que, por terem um preço inferior, elas seriam muito importantes para a classe baixa, que teria meios de dispor delas.

Mas, antes de serem usadas comercialmente, essas peças deverão ser "testadas fora do laboratório, ou seja, 'in vivo', com o objetivo de validar o comportamento das fibras em situações clínicas", afirma o professor Igor Studart. Assim, o teste provavelmente será feito em clínicas da Faculdade de Odontologia. Há também uma expectativa de transferência da produção desse conhecimento para o mercado. Mas segundo Igor Studart, "a maior dificuldade é que a maioria das empresas que trabalham nesse setor é multinacional e não há interesse da parte delas". Apesar disso, a descoberta está à disposição para comercialização.

Continuidade
O professor Igor ressalta que as pesquisas não pararão. Há a proposta para o pós-doutorado, já aprovada pela Fapesp, no qual ele pretender continuar nessa mesma linha de pesquisa. Os objetivos, a princípio, seriam o "aperfeiçoamento do modo de produção dessas fibras e a combinação com outros materiais odontológicos - pelo menos mais quatro ou cinco".

Em todo esse processo de pesquisa, o professor destaca a importância do curso de Ciência e Engenharia de Materiais (Interunidades IFSC-EESC-IQSC), que, ao obter uma linguagem comum entre as ciências aplicadas e de base, "tem produzido bastantes resultados positivos para a ciência do Brasil".