Notícia

JC e-mail

Vacina de DNA será testada contra câncer no Brasil

Publicado em 07 novembro 2002

Uma vacina gênica (ou de DNA) desenvolvida na Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto para combater a tuberculose será aplicada, dentro de três meses, em um grupo restrito de pessoas com câncer de cabeça e pescoço que não respondem mais a qualquer outro tratamento Em laboratório, a vacina se mostrou eficaz também contra leishmaniose, alguns tipos de doenças reumáticas e tuberculose bovina. Coordenada pelo professor Célio Lopes Silva, uma equipe de pesquisadores desenvolveu, em 1990, a vacina gênica contra a tuberculose. Foi tomado um pedaço de DNA (o código genético que contém a mensagem para a célula fazer o antígeno) e inserido num retrovírus fabricado em laboratório pelas técnicas de engenharia genética. A vacina de DNA é baseada num pedaço do código genético do agente causador da doença. Segundo reportagem publicada na Revista da Fapesp de novembro, nessa nova fase a vacina de DNA será aplicada também contra o câncer. Com a execução aprovada pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), os pesquisadores pretendem avaliar se o composto tem efeitos tóxicos, ainda não verificados em animais de laboratório, qual é a melhor dosagem e se realmente ela pode conter o avanço dos tumores. Os resultados devem surgir seis meses depois dos primeiros testes e podem viabilizar um novo tratamento para o câncer, com menos efeitos indesejados que a quimio e radioterapia. Em outros países têm sido feitos testes de vacinas gênicas contra Aids, hepatite e malária, além de vários tipos de câncer. Segundo Kald Ali Abdallah, pesquisador da Faculdade de Medicina da USP e um dos coordenadores do teste, não há relatos de reações adversas graves, apenas febre moderada e inchaço no local da aplicação. (Revista GALILEU, site http://revistagalileu.globo.com/)