Notícia

Agrosoft

USP, Unicamp e UFMG são destaques no QS University Ranking Latin America

Publicado em 05 outubro 2011

O primeiro QS University Rankings: América Latina traz uma boa notícia para o ensino superior brasileiro. A Universidade de São Paulo (USP) ocupa o primeiro lugar na relação das principais universidades latino-americanas. A Pontificia Universidad Católica de Chile ocupa a segunda posição, seguida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O anúncio foi feito ontem (04/10/11), pela Quacquarelli Symonds (QS), que produz o ranking TopUniversities.

A Universidade Federal de Minas Gerais está em décimo lugar no QS University Rankings: América Latina, que traz oito universidades brasileiras entre as 20 primeiras na região. Das 200 universidades que compõem o ranking, 65 são do Brasil.

"Como nos demais países BRIC, o ensino superior funciona como um motor que ajuda o Brasil a cumprir com seu enorme potencial de crescimento econômico. As matrículas se triplicaram durante a última década. O ranking QS demonstra como o Brasil tem priorizado a pesquisa", disse Danny Byrne, editor da TopUniversities.

De acordo com a QS, os resultados refletem os novos dados publicados pela Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômico (OCDE) em setembro de 2011, que revelam que a proporção do PIB investido em educação cresceu mais no Brasil do que em qualquer outro país da OCDE entre 2000-2008.

"A economia brasileira já é a sétima maior do mundo. O incremento da educação superior de alto ní­vel será fundamental para o desenvolvimento e os novos rankings QS demonstram que o país já começa a colher seus frutos", disse Ben Sowter, chefe de pesquisas da QS.

Mais informações: www.topuniversities.com.

UNICAMP Ã? A TERCEIRA MELHOR DA AMÃ?RICA LATINA

A Quacquarelli Symonds, que produz o ranking TopUniversities, mostrou a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em terceiro lugar. "A Unicamp está justamente na posição que era da nossa expectativa, ou seja, assegurada entre as três principais da América Latina", afirma o professor Edgar Salvadori De Decca, coordenador-geral da Universidade.

A USP recebeu 100 de pontuação; a Católica do Chile, 99.6; e a Unicamp, 94.7. A Universidade do Chile (4ª colocada) tem 94 e a Universidade Nacional Autônoma do México (5ª), 92.1. A partir daí, há uma queda acentuada na pontuação das demais instituições.

"A QS promoveu modificações em relação ao peso dos itens avaliados, como de reputação e de citação por docentes. Isso provocou um realinhamento das universidades, a ponto de a Autônoma do México, que estava à nossa frente no ranking internacional, aparecer atrás de nós na América Latina", observa De Decca.

Na opinião do coordenador-geral, se os mesmos critérios fossem utilizados para o ranking TopUniversities, a Unicamp também mudaria de posição. "De qualquer maneira, nossa expectativa se confirma, sendo que os números revelam que ainda temos muito a percorrer e melhorar nosso desempenho. Um fator extremamente positivo é que o Brasil tem 65 universidades entre as 200 primeiras, o que indica a melhoria do país em termos de investimento no ensino superior, titulação e inserção de trabalhos em ní­vel internacional".

UFMG: PRIMEIRA FEDERAL, TERCEIRA DO BRASIL E DÃ?CIMA NO RANKING

O primeiro QS University Rankings: América Latina apontou a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em décimo lugar na lista das principais universidades da região e na terceira posição entre as brasileiras, depois da USP e Unicamp, e a primeira entre as universidades federais do Brasil.

"Isto reflete o reconhecimento que o trabalho da UFMG tem pela comunidade cientí­fica internacional", afirmou o pró-reitor de Pesquisa, Renato de Lima Santos, ao destacar que a avaliação do QS não é só quantitativa, ou seja, não considera apenas o volume de publicações, mas também o número de citações. "A UFMG está com um número de citações acima da média brasileira e a expectativa é que a UFMG melhore ainda mais nos próximos rankings", salientou.

"O ranking QS demonstra como o Brasil tem priorizado a investigação. Surpreendentemente, 8 em cada 10 dos melhores trabalhos acadêmicos publicados são brasileiros, que além disso apresenta uma proporção de 90% de acadêmicos com doutorado", atesta Danny Byrne, editor do site que fez o levantamento.

Depois do Brasil, os países com maior número de instituições citadas são México (35), Argentina e Chile (ambos com 25).

As top 10 do ranking são:

Universidade de São Paulo (USP)
Pontificia Universidad Católica de Chile
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Universidad de Chile
Universidad Nacional Autónoma (México)
Universidad de Los Andes (Colômbia)
Instituto Tecnológico de Monterrey (México)
Universidad de Buenos Aires (Argentina)
Universidad Nacional de Colombia
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

CLASSIFICAÇÕO DAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS

Veja abaixo a relação das universidades brasileiras classificadas entre as 100 primeiras no QS University Rankings: América Latina e sua pontuação total.

01 - Universidade de São Paulo - 100,0
03 - Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) - 94,7
10 - Universidade Federal de Minas Gerais - 79,1
11 - Universidade de Brasí­lia - 78,2
14 - Universidade Federal do Rio Grande Do Sul - 75,2
15 - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - 73,5
16 - Universidade Estadual Paulista (Unesp) - 72,6
19 - Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - 70,1
28 - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - 61,1
31 - Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - 59,6
33 - Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) - 58,8
35 - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) - 56,0
37 - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - 55,7
38 - Universidade Federal do Paraná (UFPR) - 55,1
42 - Universidade Federal da Bahia (UFBA) - 53,2
45 - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - 50,7
55 - Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) - 47,7
59 - Universidade Federal de Viçosa (UFV) - 45,5
61 - Universidade Estadual de Londrina (UEL) - 44,9
69 - Universidade Federal de Pelotas (UFPel) - 42,1
72 - Universidade Federal Fluminense (UFF) - 40,8
76 - Universidade Federal do Ceará (UFC) - 39,5
81 - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) - 37,0
82 - Universidade Estadual de Maringá (UEM) - 36,8
83 - Universidade Federal de Uberlândia (UFU) - 36,6
88 - Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) - 34,6
93 - Pontifícia Universidade Católica do Paraná - 33,3
95 - Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) - 33,1
96 - Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) - 32,5
97 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) - 32,4
98 - Universidade Federal do Rio Grande (Furg) - 32,3

FONTES

Agência Fapesp

Universidade Estadual de Campinas

Universidade Federal de Minas Gerais