Notícia

Agência USP de Inovação

USP premia docentes de sucesso no setor de inovação

Publicado em 24 agosto 2018

Aconteceu na quinta feira, 23 de agosto, No auditório do Instituto de Eletrotécnica e Meio-ambiente (IEE) a entrega do prêmio “Trajetória pela Inovação”. Iniciado pela Reitoria, que contou com ajuda da Pró-reitoria de Pesquisa e da Agência USP de Inovação, o prêmio visa reconhecer a carreira dos professores que desenvolveram pesquisa na área de inovação.

“A ideia é reconhecer a excelência existente na Universidade de São Paulo especialmente nas contribuições marcantes para o desenvolvimento de inovação, desenvolvimento científico e impacto socioeconômico”, afirmou o Pró-reitor de Pequisa, Sylvio Roberto Accioly Canuto.

Além de presentear os êxitos na área de inovação, o prêmio também visa a democratização do conceito para a sociedade e a ampliação deste. “Os laureados de hoje, reconhecidos nacional e internacionalmente, têm logrado êxito em transferir e transladar o conhecimento em democratizar esse conhecimento” afirmou o Vahan Agopyan, Reitor da Universidade.

“Buscar essa interação e buscar transferir nosso conhecimento para ela é algo que reconhecido dentro da Universidade de São Paulo” complementou o Coordenador da Auspin, Antonio Carlos Marques.

A escolha dos laureados se deu por uma pré-seleção interna, dentro dos colegiados das unidades de ensinos e de estudos especializados. A partir disso, uma comissão do conselho de pesquisa escolheu os cinco professores dentro de uma lista inicial de quarenta e três.

O prêmio foi entregue, em sua primeira edição, à: Ismar de Oliveira Soares, da Escola de Comunicações e Artes (ECA); Kazuo Nishimoto, da Escola Politécnica (Poli); Marcelo Britto Passos Amato, da Faculdade de Medicina (FM); Glaucius Oliva, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC); José Roberto Postali Parra, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq).

O prêmio também foi entregue In Memorian para Horácio Carlos Panepucci, antigo professor titular do IFSC, no qual seu filho, Carlos Panepucci, recebeu a homenagem.

Ismar Soares (ECA)

De acordo com Ismar Soares, o prêmio representa muito para a Escola de Comunicação e Artes, sendo muito merecido pela unidade. “Eu entendo que esse prêmio efetivamente foi merecido, não pela pessoa do professor Ismar, mas pelo fato de uma unidade da USP ter feito uma grande pesquisa na América Latina identificando como no Continente os especialistas na interface de comunicação estavam agindo” complementou o professor.

Os pesquisadores, que formaram o conceito de Educomunicação, foram chamados pela Prefeitura de São Paulo para reduzir a violência nas escolas. Sendo categorizado como política pública pelo Ministério da Educação, o conceito de Educomunicação é um curso desde 2009 na Universidade.

Kazuo Nishimoto (POLI)

Coordenador geral dos Tanques de Prova Númerico (TPN), ele trabalha na mistura de engenharia e ciências básicas. Kazuo chegou a afirmar que a forma de pesquisa ainda pode ser mais inovadora, tendo como base a colaboração das áreas.

“A pesquisa científica precisa ser colaborativa porque os sistemas e a sociedade ficam mais complexos. Não se pode ficar separando exatas, biológicas e humanas. É necessário ter um trabalho de pesquisa que desenvolva em conjunto para desenvolver tecnologias que atendam efetivamente às necessidades da sociedade” afirmou.

Marcelo Britto Passos Amato (FMUSP)

Médico pneumologista do Hospital das Clínicas e professor da universidade, o professor foi responsável por diversas pesquisas para evolução no tratamento pulmonar. A principal é a Tomografia de Impedância Elétrica, capaz de monitorar a real condição dos pulmões e que está sempre sendo aperfeiçoada para o melhor tratamento dos pacientes.

Glaucius Oliva (IFSC)

Coordenador de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade em Fármacos, um dos Centros de pesquisa da Fapesp, Glaucius desenvolve pesquisas na área de biologia estrutural e química medicinal. O professor titular no Instituto de Física de São Carlos foi responsável pelo desenvolvimento de diversos fármacos, principalmente na área de doenças infecciosas.

José Roberto Parra (Esalq)

O professor esteve na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz(Esalq) por 44 anos, focando grande parte das pesquisas no controle biológico. Agora, após muitos anos de estudo o José Roberto enxerga um bom momento na sua área de pesquisa, com os conhecimentos sendo mais divulgados para o agricultor.

“É muito bom para nós da Esalq termos esse reconhecimento porque trabalhamos junto ao agricultor e buscamos sempre trazer informações e aplicações das nossas pesquisas” afirmou.

Horácio Carlos Panepucci(IFSC)

Homenageado in memorian, trabalhou na área de imagem das ressonâncias magnéticas, o professor foi responsável por inserção médica das física, com Imagens e Espectroscopia por Ressonância Magnética (IRM), o que ajudou a desenvolver um sistema completo de IRM no Brasil, durante os anos de 1998 e 1999.

“Muito grato, claro. Faz 14 anos des que ele faleceu e ser reconhecido depois de tanto tempo é realmente uma lembrança de quão querido ele era e quão importante foi o trabalho que fez”, afirmou seu filho, Carlos Penepucci.