Notícia

Universia Brasil

USP: Extração e recuperação de imagens de exames auxilia diagnósticos

Publicado em 09 abril 2007

Pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP de São Carlos criaram o protótipo de um sistema de extração e recuperação de imagens de exames médicos por computador. O equipamento permite que os médicos pesquisem imagens com características similares, obtendo elementos para apoiar o diagnóstico de doenças por meio de registros de casos anteriores. "No padrão atual, as imagens dos exames são apenas distribuídas para os médicos pelo computador", aponta o professor do ICMC, Caetano Traina Junior, coordenador da pesquisa. "O novo sistema identifica características físicas das imagens, extraindo parâmetros que possam ser usados na comparação com outros exames".

Depois do processamento inicial, as imagens são introduzidas em um banco de dados, como casos já diagnosticados, para serem pesquisadas por similaridade quando novos casos aparecerem. "Antes de chegar aos médicos, cada imagem obtida em um novo diagnóstico leva de três a cinco minutos para ser processada, tempo muito inferior ao do próprio exame", conta o professor.

"No consultório, o médico pode obter imagens similares em alguns segundos, a partir de coleções com 80 a 100 mil imagens". Caetano ressalta que o sistema é uma ferramenta de Diagnóstico Auxiliado por Computador (Computer Aided Dyagnostics) e auxilia a atuação do médico, podendo atuar como uma "segunda opinião".

Protótipos

O protótipo do sistema,desenvolvido pela doutoranda Natalia Abdala Rosa sob a orientação do professor Paulo Mazzoncini de Azevedo Marques, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, já é utilizado no setor de Radiologia do Hospital das Clínicas da FMRP. "Nesse sistema estão sendo analisadas imagens de mamografia obtidas por raio-X", relata o pesquisador.

"Em outro sistema, desenvolvido sob a orientação da professora Agma Juci Machado Traina, do ICMC, são analisadas também imagens de tomografia do cérebro e de raio-X e tomografia dos pulmões".

A partir do banco de dados, o sistema pode também fornecer informações que auxiliam a produção de laudos médicos. "Existem termos que são padronizados para a classificação de doenças", diz o professor. "Uma pesquisa nos laudos associados às imagens fornece as frases mais freqüentes usadas em diagnósticos similares, que podem ser reaproveitadas pelo médico laudador".

Caetano observa que o uso de bancos de dados digitais é cada vez mais comum em hospitais. "A técnica de extração de imagens não exige grande aumento da capacidade dos computadores, adaptando-se aos sistemas já existentes", destaca. "Na área de ensino de radiologia, os alunos podem entender os processos de análise utilizados pelos médicos para a produção de diagnósticos".

A pesquisa envolve 40 pessoas, entre pesquisadores e alunos de graduação, mestrado e doutorado, e tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Fonte: USP