Notícia

Diário de Suzano online

USP encontra substâncias no Tietê

Publicado em 05 setembro 2010

Foram encontradas altas concentrações de três substâncias nocivas ao homem no fundo do Rio Tietê ao longo dos trechos que cortam as cidades de Salesópolis, Biritiba Mirim e Mogi das Cruzes. São elas: cádmio (Cd), cromo (Cr) e chumbo (Pb). Porém, a presença destes metais pesados no rio não sugere à poluição da água e nem o perigo imediato ao ser humano. A informação foi repassada pelo professor doutor do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena), da Universidade de São Paulo (USP) de Piracicaba, Jefferson Mortatti.

O educador, que coordenou o grupo do Cena que desenvolveu a pesquisa, disse que a iniciativa apenas procurou analisar os sedimentos presentes no fundo de 12 trechos do rio em diferentes regiões do Estado. A pesquisa não revelou, em nenhum momento, que há perigo de transmissão destas substâncias aos animais ou ao homem. "Há outros compartimentos da Ciência que podem apontar isso, mas não foi o nosso caso. A questão aqui é a de que existem metais pesados no sedimento, sim. Mas, não apontamos se há algum risco à saúde humana; se isso significa um potencial problema futuro", esclareceu.

Ainda de acordo com Mortatti, a definição sobre a "alta concentração" de substâncias no fundo do Tietê teve como base diversos critérios internacionais.

CONSEQUÊNCIAS

Quando lançados na água, no solo ou no ar, os metais pesados podem ser absorvidos pelos vegetais e animais das proximidades, provocando graves intoxicações ao longo da cadeia alimentar. Absorvidos pelo corpo humano, se depositam no tecido ósseo e gorduroso, ocupando o lugar de minerais nobres. Lentamente liberados no organismo, eles podem provocar uma série de doenças.

DESDE 2008 O estudo começou a ser desenvolvido em 2008 e já reuniu mais de 200 páginas de informações em pontos diversos da bacia do Tietê, incluindo o canal fluvial e os principais reservatórios hidroelétricos - da nascente em Salesópolis até a foz em Pereira Barreto.

Atualmente, de acordo com o educador do Cena, partes do material estão sendo divulgadas em congressos, simpósios e em publicações de revistas científicas nacionais e internacionais. A pesquisa teve o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

SOBRE O Rio Tietê nasce em Salesópolis, na Serra do Mar, a 1.120 metros de altitude. Apesar de estar a apenas 22 quilômetros do litoral, as escarpas da Serra do Mar obrigam-no a caminhar no sentido inverso, rumo ao interior, atravessando o estado de São Paulo de sudeste a noroeste até desaguar no lago formado pela barragem de Jupiá, no rio Paraná, no município de Três Lagoas, cerca de 50 quilômetros da cidade de Pereira Barreto.