Notícia

Livecoins

USP e Htmlcoin se unem em solução para detecção de Covid-19

Publicado em 06 agosto 2020

Por Matheus Henrique

A luta contra a atual pandemia da Covid-19 tem diferentes aliados, inclusive na indústria descentralizada. Tivemos desde o desenvolvimento de aplicativos para coleta de dados e até mesmo doações diretas que permitiram a criação de hospitais de campanha. Agora, um novo projeto utilizará a blockchain para realizar testes rápidos para Covid-19.

Um grupo de pesquisadores da USP e várias outras universidades do Brasil desenvolveram um novo método para a detecção da Covid-19 e de outras doenças. O método vem chamando a atenção por ser pouco convencional, mas por ser muito mais rápido e até 5 vezes mais barato.

O projeto é apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e coordenado pelo pós-doutorando Ives Charlie da Silva, com a participação do Profº Ilo Rivero Desenvolvedor IoT na Fundação Htmlcoin.

Esse mesmo projeto chegou a ficar em terceiro lugar em um Hackathon focado em soluções para lidar com a atual pandemia.

Como funciona o novo teste rápido de Covid-19 Zebrafish, conhecido também como paulistinha, é a peça chave para esse novo teste.

Para o novo procedimento os pesquisadores desenvolveram um teste que utiliza o zebrafish, uma espécie de peixe que também é chamada de paulistinha. A proteína do vírus e injetada no peixe que reagem quimicamente com a substância presente na fita de teste.

A análise dos anticorpos é feita e rapidamente se tem um resultado sobre a presença do vírus no corpo ou não. A fita diagnóstica pode ser consultada de qualquer lugar e o teste oferece a a possibilidade de realizar o teste em casa, algo importante para evitar aglomerações.

Através desta fita diagnóstica com um QR code a pessoa tem rapidamente o resultado do teste registrado em tempo real no aplicativo.

O uso do zebrafish é justificado porque eles são muito mais baratos de serem mantidos que camundongos e galinhas, já que são pequenos (5 cm na fase adulta) e possuem uma manutenção mais simples. Além disso, os peixes não precisam ser abatidos para que os anticorpos possam ser observados.

O teste está em fase de validação. Agora a equipe está trabalhando para quantificar a concentração de anticorpos necessária para fazer o mapeamento de quantos peixes serão necessários para produção em escala global.

O papel da Blockchain no teste da Covid-19

Todo o procedimento garante muita prática e agilidade para os testes, no entanto, ainda é necessário garantir a segurança dos dados e das informações.

Como quem acompanha a indústria da blockchain já sabe, não há maneira melhor do que a descentralização para garantir a integridade de dados.

A tecnologia de blockchain foi utilizada para garantir a imutabilidade dos dados registrados e evitar adulterações fraudulentas em testes de Covid-19.

Para isso, a equipe contou com a infraestrutura da Htmlcoin/Althash pelo caráter híbrido Bitcoin + EVM Ethereum. Essa infraestrutura garante não apenas segurança, mas baixo custo na taxa de transações e velocidade instantânea.

Segundo Márcio Gandra, EVP de Inovação e Tecnologia na Htmlcoin/Althash, a parceria proporcionou também a assinatura de um memorando de entendimento para que ambas entidades possam trabalhar em conjunto no desenvolvimento de novas soluções que necessitem da imutabilidade proporcionada pela Blockchain e afirma.

“Este é um dos maiores passos da Fundação Htmlcoin no Brasil e no mundo, até hoje, e sem dúvida um marco para sua consolidação no mercado de forma responsável, trazendo soluções reais que impactem a sociedade.” Afirma Gandra.