Notícia

Agência USP de Notícias

USP é a única instituição de ensino do Brasil incluída em ranking de supercomputadores

Publicado em 21 novembro 2006

Por Valéria Dias, Agência USP

A aquisição de um supercomputador com desempenho de 2,9 teraflops (o que equivale a 2,9 trilhões de operações por segundo) fez a Universidade de São Paulo ocupar, pela primeira vez, o ranking Top500 (http://www.top500.org/), relação dos 500 mais poderosos aglomerados computacionais do mundo. A USP é a única instituição educacional pública brasileira a fazer parte da lista, ocupando a posição 363ª. Existem ainda outros três supercomputadores brasileiros listados, nas posições 273ª (Petroleum Company), 275ª (Petrobrás) e 418ª (Petrobrás).
A compra do equipamento partiu da iniciativa de um grupo formado por 66 pesquisadores da USP. A verba de U$650 mil dólares foi concedida pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). "Recebemos o dinheiro há cerca de um ano", conta o professor Luiz Nunes de Oliveira, do Instituto de Física de São Carlos e coordenador do projeto. Segundo ele, até o final desta semana o supercomputador já terá sido entregue. "O equipamento foi encomendado à IBM, nos Estados Unidos, e a previsão é que até 15 de dezembro esteja em operação preliminar, instalado no Centro de Computação Eletrônica."
O grupo de 66 pesquisadores da USP ficará responsável pelo supercomputador durante um período de dois anos. Após este prazo, o equipamento será transferido para o Laboratório de Computação Científica Avançada (LCCA), órgão ligado à Reitoria da USP, que fica no CCE.
De acordo com o professor, o equipamento tem uma capacidade de cálculo muito superior ao que é encontrada atualmente na USP. "O Tanque de Provas Numérico da Escola Politécnica [laboratório virtual para simulação numérica de estruturas flutuantes de produção de petróleo e gás], por exemplo, tem uma potência inferior a dele", conta Oliveira. O supercomputador possui 448 processadores que são interligados entre si e que permitem que várias pessoas façam uso do equipamento, simultaneamente.

Cálculos complexos e demorados
Oliveira afirma que a máquina será útil para estudos em várias áreas do conhecimento, como física (variação de cálculo de propriedades de sistemas eletrônicos), astronomia (estudos de buracos negros), na área de genômica, em meteorologia, na dinâmica de fluidos, e até em Humanas, para estudos de um banco de dados da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA).
"São áreas que envolvem cálculos complexos e demorados, habilidades que este supercomputador têm condições de desempenhar. Pesquisadores do Instituto de Matemática e Estatística e do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação de São Carlos vão realizar estudos exatamente sobre como esses cálculos são feitos e distribuídos para processamento na máquina", explica o professor.
A lista Top500, divulgada no último dia 14, é organizada pelas Universidades de Mannheim (Alemanha) e do Tenesse (EUA). De acordo com Oliveira, o Top500 tornou-se uma diretriz para quem quer adquirir aglomerados computacionais. "Ao fazermos a seleção do supercomputador, sempre perguntávamos para a empresa qual era a posição que aquele equipamento ficaria ocupando no ranking", brinca Oliveira. A primeira edição da Top500 aconteceu em junho de 1993.
Mais informações: (0XX16) 3373-9851, ou e-mail luizno@usp.br, com o professor Luiz Nunes de Oliveira