Notícia

Pátria Paulista

USP desenvolve molécula contra problema cardíaco

Publicado em 05 fevereiro 2019

Pesquisa paulista tem o potencial de revolucionar o tratamento da insuficiência cardíaca no mundo

Uma molécula desenvolvida no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) poderá aumentar a qualidade e a expectativa de vida das pessoas que sofrem de insuficiência cardíaca – hoje em torno de cinco anos para grande parte deles. A nova molécula abre caminho para novos medicamentos capazes de frear a evolução da doença de maneira mais eficaz do que os já disponíveis.

Doença que mata milhões
A insuficiência cardíaca é o último estágio de diversas doenças cardiovasculares, enfermidades que mais matam no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Estima-se que 17,7 milhões de pessoas tenham morrido por doenças cardiovasculares em 2015, representando 31% de todas as mortes em nível global.
A insuficiência cardíaca pode ser causada por um infarto mal tradado, hipertensão, e problemas em alguma válvula do coração.

Novo tratamento revolucionário
A molécula já foram testadas em células cardíacas humanas. Os resultados mostraram que, além de frear o avanço da doença, houve melhora da capacidade dessas células se contraírem. As drogas atuais freiam a progressão da doença, mas nunca fazem com que ela regrida. Ao regular essa interação específica, diminui-se a progressão e ainda traz a doença para um estágio anterior.