Notícia

Jornal do Brasil online

USP debate relações da vida com o planeta

Publicado em 27 novembro 2012

Há duas hipóteses sobre as relações da vida com o planeta: ela adapta-se ao ambiente, tornando-se em grande parte determinada pelas condições que a Terra lhe oferece; ou é capaz de interagir com o ambiente, participando ativamente de processos que acontecem tanto na superfície quanto no interior do planeta.

Essa questão será debatida na mesa-redonda "Gaia – De Mito a Ciência", nesta terça-feira (27), no Instituto de Estudos Avançados (IEA) da Universidade de São Paulo (USP). Na ocasião será lançado o livro homônimo organizado pelo professor José Eli da Veiga, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) e do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP, que também coordenará o evento.

A expositora será a professora Sônia Barros de Oliveira, do Instituto de Geociências (IGc) da USP, especialista em geoquímica e autora de um dos capítulos do livro. O debatedor será o jornalista Marcelo Leite, do jornal Folha de S.Paulo, especialista em jornalismo científico e doutor em ciências sociais pela Unicamp.

"Gaia – De Mito a Ciência" (Editora Senac SP, 176 pags., R$ 44,90) apresenta pontos capitais do pensamento do cientista e ambientalista britânico James Lovelock, distinguindo entre as mistificações a que seu pensamento esteve sujeito e seu valor científico para o estudo profundo do meio ambiente.

Lovelock, criador da teoria Gaia, é um pioneiro da pesquisa e da formalização de conclusões a respeito da visão do planeta como um sistema cibernético integrado pela biota e pelo ambiente físico-químico, apto a regular variáveis planetárias por meio de mecanismos de retroalimentação.

Segundo o IEA, Lovelock é também um homem polêmico, e suas declarações, em diferentes momentos, levaram tanto a comunidade científica como o púbico em geral a entender a teoria Gaia como uma perspectiva animista do planeta: a Terra compreendida como um superorganismo vivo que controlaria o ambiente com a finalidade de favorecer o desenvolvimento de todas as formas de vida.

A mesa-redonda é aberta ao público, gratuita e sem necessidade de inscrição. Será realizada na Sala de Eventos do IEA, Praça do Relógio 109, bloco K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo.

Fonte: Agência Fapesp