Notícia

A Cidade (Ribeirão Preto)

USP ajuda a gerar empresas de ponta em Ribeirão

Publicado em 03 abril 2011

Por Luciene Garcia

O laboratório de pesquisa, a incubadora de empresas da USP e uma sala no bairro Vila Virgínia, na zona Oeste de Ribeirão Preto, são os locais de trabalho incessante da farmacêutica Camila Alves Arede.

O foco de Camila é um só: quer emplacar três projetos de pesquisa diferentes na área odontológica, um deles de sistema de avaliação mastigatória.

Ela e a sócia, a odontóloga Cristiane Escudeiro Santos, sabem que o caminho é longo até que entre dinheiro, ou o produto seja vendido.

Nos primeiros anos de vida, o faturamento e o lucro são restritos, caso, por exemplo, dos produtos farmacêuticos, que podem demorar até 10 anos para chegar ao mercado.

As sócias levantaram recursos de R$ 500 mil nos órgãos de fomento e contrataram seis pesquisadores, registraram a patente e esperam começar dentro de um ano e meio.

"Temos até plano de negócios estabelecido", antecipa Camila. Camila é da Essentii Tecnologia, pré-incubada da Supera, incubadora de base tecnológica na USP, e que pretende explorar comercialmente a propriedade industrial gerada a partir de trabalhos de pesquisa em universidades.

A Essentii é um exemplo, ainda que embrionário, no segmento que cresce a cada ano, o das empresas spin-off (para explorar propriedade intelectual, gerada por um trabalho de pesquisa feito por instituição).

Férteis

Os últimos cinco anos foram férteis para as empresas spin-off. São 18 em atividade, mostra estudo da Fundace e do Ingtec da USP de Ribeirão Preto. Pode parecer pouco, mas não é.

Para se ter uma ideia, duas delas são premiadas: a Nanocore foi a melhor empresa graduada pela Associação de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), em 2009, e venceu o Prêmio Empreendedor de Sucesso no ano passado pela Revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios, e a Pele Nova ganhou o Prêmio da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Finep em 2005 e 2006.

"Isso mostra que as pesquisas da universidade estão se transformando em patentes, as quais viabilizam a criação desse tipo de empresa", explica Geciane Silveira Porto, da FEA/USP, uma das coordenadoras do estudo.

Dicas

Finep: www.finep.gov.br

Pappe Integração: www.finesp.gov.br/programas/integracao.asp

CNPq: www.cnpq.br

Fapesp: www.fapesp.org

Fundação Instituto Pólo Avançado de Saúde (Fipase):

www.fipase.org.br