Notícia

Jornal da Unesp online

Uso do bagaço de cana-de-açúcar é tema de capítulo de livro internacional

Publicado em 28 novembro 2011

Os professores Silvio Rainho Teixeira, Agda Eunice de Souza, Angel Fidel Vilche Peña, Regiane Godoy de Lima, da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), Câmpus de Presidente Prudente, e A´lvaro Gil Miguel, da Usina Alto Alegre, da mesma cidade, publicaram um capítulo no livro Alternative Fuel (Combustíveis Alternativos), editado pela Intech Open Access Publisher.

O capítulo, intitulado, em português, "Uso de carvão e biomaterial parcialmente pirolizado de cinza volante para produzir briquetes: Bagaço de cana de açúcar" (Use of Charcoal and Partially Pirolysed Biomaterial in Fly Ash to Produce Briquettes: Sugarcane Bagasse, no original) é parte dos resultados de pesquisas do grupo com resíduos produzidos na região oeste do Estado de São Paulo.

Entre os resíduos, Teixeira tem dado atenção às cinzas de bagaço de cana devido ao grande número de usinas sucroalcooleiras instaladas na região. Elas esmagam a cana-de-açúcar e tiram o caldo para a produção de açúcar e álcool. O bagaço que sobra é queimado nas caldeiras para gerar vapor e energia elétrica. Cada tonelada de cana gera, aproximadamente, 250 kg de bagaço que, após a queima, gera 6 kg de cinza. No processo de combustão são produzidos dois tipos de cinzas (cinza volante, coletada nos lavadores de gases, e cinza de grelha, coletada por baixo das caldeiras).

"Nas usinas mais modernas essas cinzas são misturadas e passam a ser compostas de uma fração inorgânica, usada para produção de material cerâmico, e uma fração orgânica, aproximadamente 30% em peso, constituída de carvão e pedaços muito pequenos de bagaço triturado", explica o professor Teixeira. No capítulo, é apresentado um processo para concentrar as duas frações separadamente e utilizar a parte orgânica para produção de briquetes (carvão em pó prensado).

O convite para participar do livro veio após apresentação de um trabalho sobre o tema, em 2010, no Third International Symposium on Energy from Biomass and Waste, realizado em Veneza, Itália, pelo International Waste Working Group (IWWG). Ao longo do texto, são desenvolvidos temas como introdução sobre o pró-álcool; o uso deste combustível nos automóveis brasileiros; dados sobre produção e uso de energia no Brasil; utilização de biomassa e resíduos orgânicos na produção de energia; algumas pesquisas sobre utilização de bagaço de cana para outras aplicações; e, na parte final, um estudo da cinza do bagaço, método de separação, caracterização e produção dos briquetes.

A pesquisa foi realizada com apoio financeiro da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e da Fundunesp (Fundação para o Desenvolvimento da Unesp), que financiaram parte dos equipamentos do laboratório da FCT utilizado no trabalho. O capítulo está disponível, para acesso livre, no seguinte endereço: http://migre.me/6eYDY

Assessoria de Comunicação e Imprensa