Notícia

A Notícia (Joinville, SC) online

Use a Web para conseguir vaga em curso no exterior

Publicado em 17 julho 2002

Se você é formado num curso superior brasileiro, atua na sua área profissional há pelo menos dois anos e tem numa pós-graduação o meio de ampliar o seu desempenho profissional - especialmente em ações de liderança na sua empresa -, o governo britânico está pagando para você estudar numa universidade do Reino Unido. Até o dia 31 de julho, o British Council (www.britishcouncil.org.br) - instituição encarregada pelo consulado britânico para orientar estudantes brasileiros - está coletando inscrições para as 70 bolsas integrais (que cobrem estudos e custo de vida) e parciais disponíveis para brasileiros em universidades da Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Se preferir os Estados Unidos, também há opções de cursos grátis nesse país. Uma das principais fontes de bolsas é a Comissão Fulbright - que, aliás, encerra seu prazo de inscrição para 43 de suas 78 bolsas já amanhã, sexta-feira. Para informações sobre a Fulbright e outras bolsas para os Estados Unidos, o caminho é entrar no portal da Associação Alumni (www.alumni.org.br), entidade credenciada pelo governo dos EUA a dar assessoria a estudantes brasileiros. Alemanha, Itália, Espanha, França, Japão, Austrália e inúmeros outros países têm programas de intercâmbio educacional e científico com o Brasil - que envolvem a oferta de bolsas. Para ficar a par do programa de cada pais, vá ao site do consulado da sua cidade, onde geralmente há links para instituições cadastradas para orientação de estudos. São elas que reúnem informações sobre universidades e bolsas em cada país. Mas é importante que você se apresse. O processo completo para aprovação numa universidade demora em torno de um ano e as inscrições devem ser feitas agora para quem quer iniciar os estudos em setembro de 2003, início do ano letivo no hemisfério norte. Quem visitar os sites especializados verá que não há bolsas para todas as áreas de estudo. Isso ocorre porque os governos dão ajuda para aumentar o grau de consciência dos brasileiros - principalmente os formadores de opinião - sobre seus países. E, portanto são priorizadas as áreas de interesse de cada nação em sua política externa. Por exemplo: o site do British Council, que está em português, explica que as 70 bolsas do programa Chevening (cujo prazo de inscrição termina dia 31) são destinadas a pós-graduação nas áreas de jornalismo, meio ambiente, direitos humanos, política, finanças, desenvolvimento econômico e social, comércio, indústria e direito. Como é de se esperar, conhecer bem inglês é condição para obter uma bolsa - o British Council faz um teste da fluência do candidato. A entidade pede. também, cartas de recomendação e cópias do diploma e do histórico escolar em inglês. Para os EUA, as exigências são iguais, mas a Fulbright pede também que o candidato apresente um projeto de estudos. Ao falar de bolsas, não se deve esquecer das agências oficiais brasileiras: C.VPq e Capes (do governo federal) e Fapesp (do Estado de São Paulo). Também dão bolsas o Rotary Club (www.rotary.org e a Fundação Educar (www.estudar.org.br). Mais dicas: www.consulatebrazil.org/lnfoBolsas.htm.