Notícia

Universia Brasil

Unoeste: Setor Sucroalcooleiro tem forte crescimento na região

Publicado em 19 janeiro 2010

Expectativa é que neste ano sejam instaladas mais 20 usinas de produção sucroalcooleira no Estado de São Paulo. Curso Superior de Tecnologia da Unoeste é referência na formação de profissionais nesta área

Somente em 2009, a região Centro-Sul foi responsável pela produção de 504.536.577 toneladas de cana-de-açúcar. Para 2010 a expectativa é que sejam instaladas no Estado de São Paulo, mais 20 usinas de produção sucroalcooleira, totalizando 214 unidades industriais. Os dados são da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

"Até 2014 a produção poderá dobrar", afirma a coordenadora pedagógica do Curso Superior de Tecnologia em Produção Sucroalcooleira da Unoeste, Ângela Madalena Marchizelli Godinho. A expansão do setor tem movimentado a economia do país, principalmente, na região Oeste do Estado de São Paulo. "Este crescimento gera uma procura por profissionais qualificados na área, o que torna o curso uma referência na formação de mão de obra especializada", explica.

Além do Conselho Regional de Química (CRQ) da 4ª região, a graduação também é reconhecida pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo (Crea-SP). "As novas atribuições possibilitam que o futuro tecnólogo atue nas atividades de produção, como plantio, colheita, mecanização, corte, transporte, tratos culturais, além do ensino e da pesquisa", completa Ângela.

A coordenadora fala sobre as disciplinas oferecidas. "Durante os 5 semestres (2 anos e meio), o acadêmico adquire conhecimentos sobre toda a cadeia produtiva da implantação da cultura da cana-de-açúcar, desde o preparo do solo até a comercialização de produtos. Também são desenvolvidas pesquisas com os resíduos industriais, como óleo fúsel, vinhaça, torta de filtro, bagaço, cinzas, levedo e outros".

Em relação ao mercado de trabalho, Ângela ressalta o alto grau de empregabilidade. "Grande parte de nossos ex-alunos conquistaram espaço no mercado de trabalho antes mesmo de terminar os estudos. Existem convênios com usinas como a Cocal, Alto Alegre, Atena e Alta Paulista, que permitem a realização de estágios".

Infraestrutura

O Laboratório de Tecnologia Sucroalcooleira, localizado no Campus II da Unoeste, é um ambiente prático onde o aluno pode aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula. "Esse espaço disponibiliza tudo o que uma usina necessita para seu funcionamento, possibilitando melhor desempenho do acadêmico", informa a coordenadora pedagógica Ângela Godinho. São realizados também os ensaios agrícolas. "Nas visitas a campo, os alunos acompanham o plantio e o desenvolvimento biométrico e tecnológico da cana. Todas as atividades são supervisionadas pelo corpo docente, formado por mestres, doutores e pós-doutores".

O integrante do corpo docente do Curso de Produção Sucroalcooleira, Tadeu Alcides Marques, conta que o Centro de Tecnologia de Alimentos (CTA) da Unoeste, passa a ser denominado Centro de Estudos Avançados em Bioenergia e Tecnologia Sucroalcooleira (Centec). "Após algumas reformas aprovadas pela Reitoria da Universidade, já temos projetos financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)". O CTA (hoje Centec) funciona há mais de 18 anos e conta com aparelhos como os de moagem, fermentação e destilação.

A Lei 4950 - A/66 garante ao tecnólogo em Produção Sucroalcooleira: mínimo de seis salários para 6 horas diárias de trabalho, que corresponde a 36 horas semanais, além de 50% de aumento para cada hora a mais trabalhada. O tecnólogo pode atuar nos setores administrativo, agrícola, industrial, comercial, e também no ensino.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Unoeste