Notícia

A Gazeta (Cuiabá, MT)

Universidade recebe banco de germoplasma

Publicado em 31 outubro 2011

Por Wisley Tomaz

Objetivando implementar o programa de melhoramento genético de algumas variedades de plantas, o Centro de Ciências Agrárias (CCA), campus Araras da Universidade de São Carlos (UFSCar), apresentou um Banco de Germoplasma composto por seis espécies de hortaliças (pimenta, abóbora, abobrinha, alface, coentro e feijão vagem) com mais de duas mil variedades, um dos maiores do Brasil. 0 banco foi doado por Cyro Paulino da Costa, docente aposentado da Esalq-USP, que manteve esse acervo de alto valor genético por vários anos. A partir de agora, os alunos de graduação e pós-graduação do CCA poderão dar continuidade ao trabalho do pesquisador em programas de melhoramento, busca de fontes de resistência a patógenos e agentes abióticos e/ou características de qualidade e de produtividade.

0 banco de germoplasma de pimenta, considerado um dos maiores do Brasil, composto por mais de 300 variedades. E, ainda, o de alface, obtido ao longo dos anos de trabalho de melhoramento constituindo diversos tipos varietais de alface, como lisa, crespa, americana, romana, frissée e mimosa. 0 acervo único foi doado para o Departamento de Biotecnologia e Produção Vegetal e Animal (DBPVA) do CCA e vem sendo registrado e caracterizado conforme os descritores internacionais.

0 curador responsável pela coleção é o docente Fernando Cesar Sala, do DBPVA. Segundo ele, a doação do Banco de Germoplasma é importante, pois permitirá à UFSCar e ao CCA a realização de inúmeros projetos e pesquisas que beneficiarão as três vertentes da Universidade: ensino, pesquisa e extensão. 0 professor explica que para as pesquisas, a presença do banco ajudará na obtenção de recursos financeiros junto aos órgãos de fomento à pesquisa, tais como Fapesp e CNPq. Já na área de ensino, será um suporte ao treinamento dos alunos na área de tecnologia de produção e melhoramento. E para a extensão, o banco propiciará a obtenção e lançamento de novas variedades para os mercados produtor e consumidor.

0 primeiro projeto de pesquisa elaborado a partir do Banco de Germoplasma já está em andamento e aborda a caracterização morfológica dos acessos de Capiscum (pimenta). 0 estudo foi aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e recebeu recursos na ordem de R$ 65 mil por dois anos.

0 melhoramento de plantas nasceu com o início da agricultura. Segundo especialistas, é difícil precisar se foi a agricultura que incentivou a prática do melhoramento de plantas pelos primeiros agricultores ou vice-versa. Provavelmente, ambos evoluíram paralelamente na direção de aumentos na qualidade e na produtividade das culturas domesticadas pelo homem. Assim, dos primórdios da agricultura até hoje, o melhoramento passou por muitas modificações no exercício da sua prática. Sendo que hoje as grandes universidades trabalham neste sentido.