Notícia

Refrescante

Unifesp premia os vencedores da 1ª. edição do PITec

Publicado em 01 dezembro 2011

O PITec – Prêmio de Inovação Tecnológica Estudantil, promovido e organizado pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis – PRAE, com o apoio da FAP – Fundação de Apoio à Unifesp, premiou no dia 29 de novembro, no Campus São José dos Campos, três dos cinco grupos finalistas.

O objetivo do prêmio foi promover a criatividade dos alunos da Unifesp com propostas de inovação tecnológica no ambiente acadêmico. Puderam participar alunos regularmente matriculados em um dos cursos de graduação ou pós-graduação da Universidade, bem como estudantes com vínculo comprovado em projetos de pesquisa oferecidos pela Unifesp. As propostas abordaram temas de inovação tecnológica relacionados à acessibilidade, inclusão digital e sustentabilidade.


Durante o evento, cada grupo, composto por alunos dos campi São José dos Campos e São Paulo, teve 10 minutos para a apresentação dos trabalhos, que foram avaliados por uma comissão formada por profissionais da área de tecnologia, com diferentes atuações no mercado.

Foram premiados:
1º lugar: ReVolunt Unifesp – Registro Institucional de Voluntários de Pesquisa da UNIFESP, de Diego Robles Mazzotti, Vanessa Kiyomi Arashiro Ota e Andrea Pereira Simões Pelogi. Esse sistema permitirá que os voluntários preencham, via formulário eletrônico, informações de interesse, que ficarão armazenadas e poderão ser acessadas e filtradas pelos pesquisadores, facilitando o contato e reduzindo o tempo e custo com divulgação do recrutamento. Dessa forma, a proposta pretende beneficiar a comunidade científica da Unifesp e os voluntários interessados por meio de uma ferramenta amplamente utilizada atualmente como a Internet. Mais informações: http://www.voluntarios.unifesp.br/;

2º lugar: INICIALIZAÇÃO DIGITAL USANDO JOGOS, de Felipe Mendes Miranda, Douglas Eduardo Parra, Paula Akemi Hara e Regis Lima Claus. O projeto consiste na elaboração de um jogo que ensina de maneira indireta os participantes a usarem um computador. O seu funcionamento é bem simples e autoexplicativo, já que tem por público-alvo pessoas que estejam começando a usar computadores. Pelo fato de ser um jogo que aparenta não ser um tutorial, traz maior interesse ao usuário bem como maior conforto e disposição para explorar todo o seu conteúdo e, desta forma, o jogador aprenderá várias funcionalidades e comandos mais utilizados nos computadores atuais.

3º lugar: ACESSO EM UM TOQUE, de Leonardo Augusto Testoni Robles, Talita de Castro Nogueira, Eduardo Saches Bocato e Olivia Candolo Cipolari. O projeto consiste em facilitar a vida de pessoas portadoras de deficiências físicas, fornecendo-lhes, com exatidão, a informação se um determinado local oferece serviços de acessibilidade via internet, tanto em computadores quanto em dispositivos móveis (smartphones, tablets), com uso de GPS e conexão 3G. Mais informações: https://market.android.com/details?id=com.accessinatouch.main.

Para Luis Leduino de Salles Neto, pró-reitor de Assuntos Estudantis da Unifesp, os três primeiros trabalhos colocados do PITEc têm um alto potencial de aplicabilidade e, o principal, o fato de melhorarem, de maneira inovadora, a vida das pessoas, seja auxiliando à pesquisa científica (1º colocado), o aprendizado computacional (2º colocado), ou a informação sobre acessibilidade (3º colocado).
“Por uma feliz coincidência, no lançamento da Rede Paulista de Propriedade Intelectual na FAPESP, realizado também no dia 29 de novembro, uma das sugestões para estimular a participação de estudantes em atividades empreendedoras —- que podem gerar novas empresas startups e spin-offs —-, foi a criação de prêmios como o PITEc nas instituições de ensino e pesquisa do estado de São Paulo. Terminada a 1ª edição, além de iniciarmos o planejamento para o 2º PITec, temos o desafio de formular ações que ajudem os projetos vencedores a seguirem em frente”, finaliza Leduino.

Sobre a Unifesp

A Unifesp foi apontada em 2011, pela terceira vez consecutiva, a melhor universidade federal do País segundo o Índice Geral de Cursos das Instituições de Ensino Superior do País (IGC), elaborado pelo Ministério da Educação (MEC) e Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).


Criada oficialmente em 1994, a Unifesp originou-se da Escola Paulista de Medicina (EPM), entidade privada fundada em 1933 e federalizada em 1956. Em 1940, a EPM inaugurou o Hospital São Paulo, primeiro hospital-escola do País, que hoje é o Hospital Universitário da Unifesp, localizado no campus São Paulo, no bairro Vila Clementino.


Na ocasião da criação da Unifesp, a instituição era a primeira universidade brasileira especializada em Saúde, abrigando em seu currículo de graduação os cursos de Medicina, Enfermagem, Biomedicina, Fonoaudiologia e Tecnologias Oftálmica e Radiológica.


Em 2005, iniciou-se o projeto de expansão por meio do Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), coordenado pelo Ministério da Educação (MEC), com a criação do campus Baixada Santista. Em 2006, foi criado o campus Guarulhos, seguido de Diadema e São José dos Campos, em 2007, e Osasco, em 2011, dando seguimento ao processo de ampliação. O ambicioso processo de expansão fez com que a Universidade saltasse de um para seis campi e de cinco para 35 cursos de Graduação.


Com os novos campi, a Instituição deixou de atuar exclusivamente no campo da saúde, inaugurando cursos nas áreas de Humanas (Guarulhos), Exatas (São José dos Campos), Biológicas (Diadema) e Negócios (Osasco). No Vestibular 2011, a instituição oferece 3.249 vagas em seus cursos de Graduação.


Atualmente, a Unifesp conta com 6.301 alunos matriculados nos cursos de Graduação, além de 3.100 discentes nos cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu (Doutorado, Mestrado e Mestrado Profissionalizante) e 7.652 na Pós Graduação Lato Sensu (Especialização e Aperfeiçoamento,). Além disso, a instituição conta com 987 discentes no maior programa de residência médica do Brasil.


A Unifesp tem em seu quadro 1.208 docentes, sendo que 95% apresentam título de doutor, o que marca a qualidade de ensino oferecida pela Instituição.
No segundo semestre de 2010, tiveram início as a

tividades do primeiro campi avançado de extensão universitária da Unifesp, primeiro também no Brasil, implantado no município de Embu das Artes, na Região Metropolitana de São Paulo. E, no início de 2011, foi inaugurado o segundo campus avançado de extensão universitária da Unifesp, localizado na região de Santo Amaro, na capital paulista.