Notícia

Jornal da Tarde

Unifesp estuda genes ligados ao câncer

Publicado em 18 julho 2000

Uma pesquisa inédita desenvolvida na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) dá uma mostra do que será o Genoma Clínico do Câncer um projeto, desdobramento do Genoma Humano do Câncer, que pretende analisar os genes ligados à doença e decifrar seu funcionamento. A partir definir, a longo prazo, estratégias para combater as manifestações da doença. Conduzido pelos pesquisadores Ismael Silva e Luiz Henrique Gebrim, o estudo analisou cerca de 500 genes associados ao câncer de mama. Os cientistas descobriram que um desses genes, batizado de CaMK-II e que exerce papel fundamental na multiplicação celular é sensível a um medicamento conhecido como tamoxifeno, usado para combater tumores de mama. Desenvolvido há 20 anos, o tamoxifeno reduz em até 50% os riscos de aparecimento do câncer. Seu uso, porém, é feito com uma série de restrições. "A idéia é encontrarmos outros métodos de prevenção, que não tragam os efeitos colaterais do tamoxifeno", explica Silva.