Notícia

Universia Brasil

Unidade de Biotecnologia da UNAERP desenvolve pesquisa sobre a bactéria Ehrlichia Canis

Publicado em 28 setembro 2008

O grupo de genética molecular e bioinformática da Unidade de Biotecnologia da Universidade de Ribeirão Preto – Unaerp iniciou recentemente um projeto para desenvolver exames para identificar a Ehrlichia Canis, uma bactéria que infecta cães e que é transmitida pelo carrapato causador da doença Erliquiose Canina, a popular "doença do carrapato". A equipe de cientistas da Unaerp trabalha diretamente com a bactéria que é cultivada em culturas de células e, desta forma, analisa o padrão de expressão do gene da bactéria para, a partir dessa análise, identificar alvos para o desenvolvimento de novas drogas, provavelmente usando a biodiversidade da flora brasileira.

A Unidade de Biotecnologia da universidade trabalha desde 2005 com pesquisas envolvendo a Erliquiose Canina. Inicialmente com um projeto para desenvolver exames para identificar a bactéria Ehrlichia Canis em cães supostamente infectados pela doença, sendo que e atualmente trabalha diretamente com a bactéria cultivada em culturas de células.

De acordo com o professor doutor e coordenador do curso superior de Tecnologia em Biotecnologia da Unaerp, Mozart Marins, há hoje uma forte incidência da doença Erliquiose Canina (doença do carrapato) em Ribeirão Preto e região e também no Brasil de modo geral. "Esta incidência da doença foi o que nos motivou a dar início á pesquisa nesta área", diz Mozart. "Associado a esse trabalho, também passamos a estudar outros parasitas que são transmitidos pelo mesmo carrapato, como a Babésia e a Anaplasma Platis", explica. "A partir desses estudos, começamos a ampliar as pesquisas de parasitas que infectam cachorros, para buscar drogas que serão utilizadas no combate tanto da Ehrlichia Canis, quanto das bactérias similares a ela", afirma o professor.

Os alunos do curso de Biotecnologia da Unaerp participam do projeto de pesquisa sobre a Ehrlichia Canis, inclusive com Bolsas, como é o caso de Dayane Santos Rosa que tem bolsa de iniciação científica concedida pela FAPESP. Este projeto de pesquisa conta com o apoio financeiro da FAPESP e da Unaerp.

Segundo o professor, além da Erliquiose Canina, a Unidade de Biotecnologia da Unaerp está estudando, também, um outro parasita que pode infectar tanto cães como seres humanos, que é a Leichimania Chagasi, hoje um problema de saúde que afeta todo o país. "O fato de esse parasita infectar o cão, que é um animal muito próximo ao homem, faz com que isso se torne um sério problema de saúde", diz Mozart. "Estamos começando uma pesquisa com a finalidade de desenvolver um diagnóstico, um exame para a identificação da Leichimania", explica Mozart Martins.

Fonte: Unaerp