Notícia

Vooz

Unicamp tem segundo supercomputador mais rápido na América Latina

Publicado em 09 agosto 2013

O Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho em São Paulo (Cenapad-SP), situado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), tem o segundo supercomputador em performance na América Latina, o primeiro no Brasil, de acordo com a edição mais recente do ranking LARTop50, que lista supercomputadores na região.

O equipamento, que conta com financiamento da Fapesp, tem capacidade de processamento de 33 teraflops (trilhões de operações de ponto flutuante por segundo). “Isso equivale a algo como 5 mil computadores pessoais, todos trabalhando simultaneamente”, disse Edison Zacarias da Silva, professor do Departamento de Física da Matéria Condensada do Instituto de Física Gleb Wataghin da Unicamp e coordenador do Cenapad-SP de 2003 a junho de 2013.

O supercomputador viabiliza a realização de cálculos complexos para 122 estudos vinculados a 45 instituições no Brasil, além de uma na Colômbia, nas áreas de física, química, engenharia, computação, estatística, zootecnia, biologia, matemática e astronomia. Mais de 360 pesquisadores são beneficiados.

“A computação de alto desempenho é usada nas mais variadas aplicações, da fabricação de medicamentos à construção de aviões. É fundamental que a comunidade científica acesse computadores com grande capacidade de processamento e, com isso, possa desenvolver pesquisas cada vez melhores e mais competitivas internacionalmente”, disse Zacarias da Silva.

Fluxo de trabalho

Pesquisadores interessados em utilizar o sistema podem solicitar uma conta temporária ou submeter um projeto científico para pleitear uma conta permanente – o passo a passo está disponível em

www.cenapad.unicamp.br/servicos/abertura_contas.shtml. “Se aprovado pelos assessores do centro, o usuário ganha tempo de uso e espaço em disco para os cálculos de que necessita”, explicou Zacarias da Silva.

O acesso ao supercomputador ocorre de maneira remota e segue um sistema de filas, organizadas de acordo com as diferentes demandas dos projetos (tempo de utilização do sistema computacional, quantidade de memória a ser ocupada e de processos envolvidos).

“Apesar da boa infraestrutura pessoal e material, existe fila de espera para acessar o sistema computacional. Os pesquisadores estão sempre demandando mais capacidade de processamento e o centro segue em busca da ampliação dessa capacidade”, afirmou o coordenador do centro. De acordo com ele, a contrapartida exigida pelo uso é um relatório anual com os resultados obtidos.

Por meio de um projeto apoiado pela Fapesp, no âmbito do Programa Equipamentos Multiusuários (EMU), o Cenapad-SP comprou novos equipamentos em 2005. Nessa época, a capacidade total de processamento era de 1,5 teraflop.

Já em 2010, um segundo auxílio viabilizou a compra da máquina de 33 teraflops, agora a segunda mais potente da América Latina.

Uma máquina de 5 teraflops, de 2011, completa o parque computacional do Cenapad-SP, instalado em um data center com linha de transmissão especial, nobreaks e refrigeração apropriada. “Como o centro é multiusuário, outras universidades e projetos aproveitam a infraestrutura disponível para instalar seus próprios equipamentos – como o Programa Biota-Fapesp”, disse Zacarias da Silva.

Dez pessoas – entre coordenadores, equipe de suporte técnico, equipe de suporte aos usuários e secretária – compõem a equipe que trabalha diretamente com o Cenapad-SP.

Fonte: Portal Administradores