Notícia

Correio Popular

Unicamp prepara laboratório do Exército

Publicado em 01 setembro 2004

Por Maria Teresa Costa
A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) irá implantar um Laboratório de Desenvolvimento de Tecnologia para a Defesa, aproveitando a infra-estrutura existente no Centro de Tecnologia da universidade. Nesse laboratório serão desenvolvidos projetos de interesse do Ministério da Defesa, na área de eletrônica embarcada, geração de energia a partir de biodiesel e repotencialização dos blindados M-113. O Ministério da Defesa também quer a parceria da Unicamp para a implantação de um hospital militar na região de Campinas. O comandante do Exército, general Francisco Albuquerque, reuniu-se ontem com o reitor da Unicamp, Carlos Henrique de Brito Cruz, para discutir projetos de interesse do Ministério da Defesa, onde a colaboração do conhecimento científico da universidade é essencial. Para tanto, será formalizado um convênio entre as instituições. Conforme a universidade, nos próximos dias, grupos de trabalhos serão formados para dimensionar as propostas apresentadas. O comandante do Exército informou que o interesse está no desenvolvimento de pesquisas que reforcem o conhecimento. A principal arma do Exército, comentou, não são os materiais bélicos, mas sim o conhecimento. O Ministério da Defesa tem interesse também em um projeto na área de alimentos que vem sendo negociado com a Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). O estudo, para o desenvolvimento de rações para os militares, deverá ser financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O diretor da FEA. Carlos dos Anjos, informou que a Fapesp deverá se manifestar ainda essa semana sobre a liberação de recursos. Propostas O general Albuquerque apresentou ontem ao reitor da Unicamp várias propostas para o desenvolvimento de parcerias. Entre elas estão a instalação do Laboratório de Desenvolvimento de Tecnologia para a Defesa, aquisição e instalação de reator para testes de vários produtos para a produção de biodiesel e implantação de um hospital militar na região de Campinas. O Ministério da Defesa também está interessado em projeto de identificação digital, veiculo aéreo não-tripulado, desenvolvimento de projeto para repotencializar o blindado M-113 (viaturas sobre lagartas para transporte de tropas, que já passaram por uma fase de repotencialização na década passada, com a substituição dos motores à gasolina por motores nacionais a diesel) e a viatura JPX. Além de projetos de comunicação interna nas viaturas, transmissão de dados e de voz. Várias das propostas do Exército já são objeto de pesquisa dentro da Unicamp. A tecnologia de identificação digital, por exemplo, foi desenvolvida por uma pequena empresa abrigada na Incubadora de Empresa de Base Tecnológica da Unicamp (Incamp). O software desenvolvido pela Griaule Reconhecimento de Impressões Digitais propiciou que essa empresa fosse avaliada pelo National Institute of Standards and Tecnology (NIST) como a oitava melhor empresa do mundo no setor. Várias pesquisas estão sendo desenvolvidas na universidade para obtenção de óleos a partir de vegetais para serem utilizados como combustível de veículos, além do fato de a universidade sediar o Centro de Pesquisas em Hidrogênio, que desenvolve projetos para utilização do gás como combustível. Hospital O Ministério da Defesa planeja construir um hospital militar nas proximidades de Campinas. Nessa região existem várias unidades do Exército e da Aeronáutica instaladas. A implantação do hospital está entre as propostas de parcerias levadas ontem pelo comandante do Exército, general Francisco Albuquerque, ao reitor da Unicamp. Carlos Henrique de Brito Cruz. A Unicamp deverá trabalhar na formatação de um projeto de hospital.