Notícia

A Cidade On (Campinas, SP)

Unicamp: pesquisa revela fragmentação política em SP

Publicado em 06 maio 2018

Um estudo que já dura cinco anos, coordenado pela Unicamp e que envolve também a Unesp e a UFSCar, revela a fragmentação política do estado de São Paulo nos últimos 20 anos - apesar do amplo domínio do PSDB nas eleições para o governo estadual.

Segundo Rachel Meneguello, professora de Ciência Política do IFCH, pesquisadora do Centro de Estudos de Opinião Pública (Cesop) da Unicamp e coordenadora do projeto, o eleitorado paulista partiu de 21 milhões de eleitores para 33 milhões de 1994 a 2014.

"Além disso são 35 partidos registrados funcionando no Estado e baseados em um terreno de competição vastíssimo, com quase 7 mil vagas de vereanças e 645 para prefeitos, além de 70 para deputados federais e 94 para estaduais", diz.

Sendo o sistema paulista tão fragmentado e competitivo, a grande questão colocada desde o início do projeto, segundo a coordenadora, foi como explicar os 20 anos de hegemonia do PSDB. "A explicação começa pela própria origem do partido, que é eminentemente paulista, de uma elite política que saiu do PMDB no Estado e aqui encontrou suas bases já estruturadas e aqui se fortaleceu refletindo claramente a presença do partido em nível nacional, com os governos de Fernando Henrique em 94 e 98. São Paulo é um dos maiores exemplos de estruturação da política estadual a partir da política nacional."

A docente da Unicamp ressalta, porém, que essa hegemonia do PSDB é pontual, para o governo estadual, e se explica em boa medida pelo controle da máquina do Estado, já que, em termos locais, a pesquisa mostra um sistema fragmentado por pequenas elites, lideranças novas e partidos por vezes minúsculos que conseguem vitórias em várias cidades.

"Em 2016 tivemos 22 partidos ganhando prefeituras. Com o primeiro quadro partidário ampliado em 1982, ainda durante a ditadura, São Paulo teve regiões fortemente estabelecidas e distribuídas entre conservadores e progressistas de situação e de oposição ao regime militar, herdadas do PDS e PMDB. Mas já em 1988, o mapa de distribuição das vitórias mostra 13 partidos vencendo em nível local; em 96 foram 17; e agora 22 partidos. É muita fragmentação."

EQUIPE

O projeto temático Fapesp "Organização da Política Representativa em São Paulo" foi desenvolvido pelos professores Rachel Meneguello, Oswaldo Estanislau do Amaral e Valeriano Ferreira Costa, da Unicamp; Maria Teresa Kerbauy, da Unesp; Pedro Floriano Ribeiro e Maria do Socorro Braga, da UFSCar; Bruno Wilhelm Speck, da USP; e envolveu 25 alunos das quatro instituições. Os resultados e as informações completas podem ser acessadas na página do projeto: www.cesop.unicamp.br/tematico-fapesp-spaulo/mapas/.