Notícia

Empresas & Negócios online

Unicamp pesquisa motocicleta elétrica

Publicado em 29 julho 2008

Representantes da CPFL Energia e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) formaliza ram protocolo de intenções para o desenvolvimento de inovações voltadas ao mercado de veículos elétricos. A iniciativa tem como objetivo o estudo de características técnicas pai-a aprimoramento tecnológico de um modelo de motocicleta elétrica importada pela CPFL, de modo a contribuir para a economia de combustíveis fósseis e para a preservação do meio ambiente. O veículo é silencioso e não emite gases tóxicos causadores do efeito estufa.

De acordo com Luiz Antônio Rossi, coordenador do Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Energético (Nipe) da Unicamp, elas se concentrarão em questões como a otimização da tração do veículo em diferentes condições de uso e tipos de terreno encontrados no Brasil, ampliação de autonomia e redução do tempo de recarga da bateria.

Atualmente, o veículo percorre 50 quilômetros com a bateria completamente carregada. Recarregá-la demora quatro horas. O projeto pretende elevar a autonomia para 150 quilômetros e reduzir o tempo de recarga para duas horas. O custo por quilômetro percorrido gira em torno de R$ 0,01. “Um dos principais gargalos para atingirmos esses objetivos é o sistema de 13 que, por ser de chumbo ácido, é muito pesada, tem vida útil pequena e tempo de recarga elevado. Elas deverão ser substituídas por baterias de íon lítio, que têm potência maior e são mais resistentes”, informa Rossi.

Segundo Rossi, o desafio do Nipe é grande por envolver o desenvolvimento responsável do ponto de vista tecnológico, ambiental e social. “Essas pesquisas deverão ser realizadas num prazo de seis meses, quando a CPFL Energia deve importar cerca de 50 novas unidades da moto elétrica para adaptação tecnológica e comercialização” (Agência Fapesp).