Notícia

Planeta Universitário

Unicamp outorga título de professor emérito a Carlos Vogt

Publicado em 21 outubro 2015

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) outorgou o título de professor emérito ao linguista e poeta Carlos Vogt, em reconhecimento à sua trajetória acadêmica e literária, na sexta-feira (16/10). A cerimônia ocorreu no Centro de Convenções da Unicamp, que esteve lotado para a homenagem ao professor do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL), que também foi reitor da universidade entre 1990 e 1994.

Pós-graduado em teoria da literatura e literatura comparada pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em linguística geral e estilística do francês pela Universidade de Besançon, na França; doutor em ciências pela Unicamp, onde é professor titular na área de semântica argumentativa e coordenador do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor), Vogt teve destacada, durante a homenagem, sua contribuição à Unicamp e ao ensino superior do Estado de São Paulo.

Padrinhos do homenageado, os professores Alcir Pécora, do IEL, e Marcelo Knobel, do Instituto de Física Gleb Watagin, conduziram Vogt à mesa, composta por José Tadeu Jorge, reitor da Unicamp, Alvaro Crósta, coordenador-geral da Unicamp, Carlos Nobre, presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Valdecir Carlos Tadei, coordenador de Ensino Superior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo, e Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP.

Também estiveram presentes à mesa Marco Antonio Zago, reitor da USP, além do diretor associado do IEL, Jefferson Cano, e do chefe do Departamento de Linguística do IEL, Juanito Ornelas de Avelar.

Falando em nome do Conselho Universitário da Unicamp, o professor Eduardo Guimarães saudou Vogt, destacando sua trajetória intelectual, científica e de gestão. Para ele, o título é um reconhecimento à vida múltipla de Carlos Vogt, que ajudou a transformar a Unicamp em uma universidade com destaque internacional. “Seu percurso e suas ações foram decisivos para a formação de pessoas, para a gestão acadêmica e para o desenvolvimento da ciência”, disse.

Tadeu Jorge, reitor da Unicamp, ressaltou como fundamentais os inúmeros projetos, em geral coletivos, coordenados por Vogt para o aprimoramento da pesquisa, da ciência, da cultura e da gestão acadêmica no Estado de São Paulo. “Se preenche aqui uma lacuna. Falo como reitor, no momento em que a Unicamp faz esse reconhecimento, mas também como amigo do professor, com quem convivi de forma próxima, em diferentes circunstâncias, e a quem agradeço e parabenizo, em nome de seus pares.”

Também para o diretor científico da FAPESP, a homenagem é oportuna e merecida, por muitas razões. “Esta homenagem reconhece uma pessoa de excepcional capacidade intelectual, que pensa problemas e propõe soluções, que em seu caminho sabe reconhecer ideias boas e colocá-las em prática, numa carreira ligada ao ensino superior público e gratuito, incluindo sua expansão”, disse Brito Cruz.

Em nome da Capes, Carlos Nobre agradeceu a Vogt por sua contribuição à pós-graduação no Brasil, com destaque para a comunicação da ciência. “Há dez anos, na criação do Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas, conheci o trabalho do Labjor e percebi a importância da comunicação da ciência, do trabalho acadêmico nessa área e suas inegáveis aplicações práticas”, disse, afirmando que a ciência brasileira deve muito a Vogt.

Durante a homenagem, Vogt afirmou sua satisfação e disse viver um momento de grande emoção. Ele destacou a USP, a Universidade de Besançon e a École des Hautes Études em sua formação como linguista, a Unicamp, a quem disse dever sua vida acadêmica, como professor, poeta e gestor, e o papel da FAPESP, que em 1969 proporcionou a criação do primeiro grupo de linguística na Unicamp.

“A FAPESP teve papel fundamental para a Unicamp e para minha vida pessoal como pesquisador, cruzando definitivamente os rumos de minha carreira”, afirmou. Vogt foi presidente da Fundação entre 2002 e 2007.

O título de Professor Emérito da Unicamp se junta a outros já outorgados ao professor, que recebeu, em 2005, a comenda da Ordem do Mérito Científico, da Presidência da República do Brasil, e o título de doutor honoris causa da École Normale Supérieure de Lyon, na França. Desde setembro de 2011, Vogt também ocupa a cadeira 23 da Academia Campinense de Letras.

Vogt foi Secretário de Ensino Superior do Estado de São Paulo, entre 2009 e 2010, quando iniciou a implantação da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), da qual é atualmente presidente.

Agência FAPESP