Notícia

Agora Vale

Unicamp inaugura Laboratório Multiusuário de Espectroscopia Óptica Avançada

Publicado em 18 outubro 2011

Agência FAPESP – Foi inaugurado no dia 14 de outubro, no Instituto de Química (IQ) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Laboratório Multiusuário de Espectroscopia Óptica Avançada (LMEOA).

Voltado para a realização de pesquisas na área de química dos materiais e para o desenvolvimento de novos materiais orgânicos e inorgânicos, como polímeros, nanomateriais, sensores eletroquímicos e vidros de interesse tecnológico, o laboratório conta com dois equipamentos que foram adquiridos com recursos da FAPESP por meio do programa Equipamentos Multiusuários.

Um espectrômetro Raman Confocal de alta resolução espectral e espacial e um espectrofluorímetro modular que opera em condições fotoestacionárias e em uma ampla faixa de resolução temporal (de picossegundos a milissegundos) e de detecção espectral, os equipamentos para pesquisa da estrutura de materiais serão disponibilizados para uso por pesquisadores do Estado de São Paulo.

De acordo com a coordenação do LMEOA, pesquisadores de outras regiões do Brasil e do exterior que realizam projetos em cooperação com pesquisadores do Estado de São Paulo também poderão utilizar os equipamentos, desde que os projetos tenham a participação de um professor do IQ da Unicamp como responsável.

Para utilizá-los, os pesquisadores deverão submeter suas propostas de pesquisa, que serão analisadas pelo comitê gestor do LMEOA. Após a aprovação da proposta, os proponentes deverão fazer o agendamento pela internet e realizar um treinamento para utilizá-los.

As propostas de pesquisa e as solicitações de agendamento para a utilização do espectrômetro Raman deverão ser enviadas para o e-mail lmeoa-raman@iqm.unicamp.br.

Já as propostas de pesquisa e solicitações de agendamento para uso do espectrofluorímetro deverão ser encaminhadas para o e-mail lmeoa-fluoro@iqm.unicamp.br.

As propostas deverão descrever, entre outros itens, o tipo de amostras que serão analisadas, os experimentos que serão realizados, o tipo de preparação da amostra e o tempo que o pesquisador pretende utilizá-lo.

“São os equipamentos mais completos de que se têm notícia no Estado de São Paulo. Mas, mais importante do que os equipamentos, foi a construção do laboratório dentro da filosofia do programa Equipamentos Multiusuários, que estará aberto não só para os pesquisadores daqui da instituição, mas, prioritariamente, também para todos os pesquisadores do Estado de São Paulo”, disse Watson Loh, diretor do Instituto de Química da Unicamp à Agência FAPESP.

De acordo com Yoshitaka Gushikem, professor do IQ da Unicamp e coordenador do projeto, a instalação do espectrômetro Raman no LMEOA possibilitará atender a alta demanda de pesquisadores da região de Campinas pela utilização do equipamento.

Até então, os pesquisadores da região precisavam se deslocar para São Paulo para realizar suas pesquisas no Laboratório de Espectroscopia Molecular (LEM) do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP).

No caso da espectroscopia de luminescência os pesquisadores se deslocavam, de acordo com a necessidade, para o Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (Unesp), para o IQ da USP ou ainda para o Instituto de Física da USP, campus de São Carlos.

Um dos laboratórios mais tradicionais da área em São Paulo, o LEM possui equipamentos para realização de espectroscopia Raman também adquiridos por meio do programa Equipamentos Multiusuários, que são disponibilizados para uso por pesquisadores do Estado de São Paulo e de outras regiões do Brasil.

“Temos uma alta demanda para utilização de espectroscopia Raman aqui na região. Com a instalação desse equipamento no LMEOA, os pesquisadores poderão obter os dados para suas pesquisas aqui, sem a necessidade de se deslocar tanto para São Paulo”, disse Gushikem.

Mais informações: www.iqm.unicamp.br/site/?p=1068.