Notícia

Esteta

Unicamp e TU Delft, da Holanda, vão intensificar colaborações

Publicado em 02 dezembro 2013

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Delft University of Technology (TU Delft), da Holanda, vão intensificar colaborações. Na semana passada, o coordenador geral da Unicamp, Álvaro Penteado Crósta, e o reitor da TU Delft, Karel Luyben, estabeleceram como meta chegar a 25 doutorados duplos até 2020.

O doutorado duplo envolverá, entre outros programas, o recém-criado Programa Integrado de Doutorado em Bioenergia, do qual participam a Unicamp, a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) (leia mais em http://agencia.fapesp.br/17186).

"O Brasil exercerá um papel central na transição para uma bioeconomia sustentável. Para atingir esse objetivo, serão necessários profissionais altamente qualificados. Colaborações internacionais com cursos em inglês, novas ferramentas educacionais e mecanismos de intercâmbio representam oportunidades de valorização para a Unicamp, para a TU Delft e especialmente para os nossos alunos", afirmou Luís Augusto Barbosa Cortez, vice-reitor de relações internacionais da Unicamp e coordenador adjunto de Programas Especiais da FAPESP.

Farão parte da colaboração com a TU Deft a orientação em tutela compartilhada e o acesso a instalações estrangeiras, nas quais os doutorandos farão estágios obrigatórios.

"O doutorado duplo ajudará a solidificar as colaborações já existentes com a TU Delft, estimulará o estabelecimento de novas parcerias e intensificará o intercâmbio científico entre o Brasil e os Países Baixos, resultando no treinamento de profissionais altamente qualificados numa área de caráter estratégico, a Bioenergia", afirmou Andreas Karoly Gombert, coordenador do Programa Integrado de Doutorado em Bioenergia na Unicamp.

As primeiras atividades em colaboração entre as duas universidades datam de 1999. Em 2012, foi assinado um segundo memorando de entendimento. Em julho deste ano, a TU Delft abriu um escritório no Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Energético (Nipe), da Unicamp.

Para Luuk van der Wielen, professor titular da TU Delft na área de Bioeconomia, "um doutorado duplo é um programa de prestígio para estudantes de excelência".

"Uma bioeconomia sustentável precisa de muitos acadêmicos de alto nível com conhecimentos em design, economia e sustentabilidade, além de um entendimento da produção agrícola. Para a inovação, eles também precisarão saber sobre desenvolvimento de negócios", afirmou.

Fonte: Agência FAPESP