Notícia

CGC Educação

Unicamp e Japão celebram parceria com doação de equipamentos ao HC

Publicado em 12 agosto 2021

O Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp sediou na manhã desta quinta-feira (12) a cerimônia de agradecimento pela doação de equipamentos e acessórios hospitalares como eletrocardiógrafos, ultrassons portáteis, desfibriladores, carrinhos para ECG e ultrassom, transdutores e 20 monitores multiparamétricos, além de luvas, máscaras e aventais de TNT e bilaminados feita pela Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) ao hospital. O valor total doado é de R$ 2,2 milhões de reais.

A doação foi feita dentro do projeto The establishment of a research and reference collaborative system for the diagnosis of fungal infections including drug-resistant ones both in Brazil and Japan ( Projeto MIRE ) em parceria o HC Unicamp. A cerimônia aconteceu no anfiteatro do hospital e representou, também, um agradecimento da Unicamp ao governo japonês.

A cerimônia foi presidida pelo reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles e pela coordenadora geral da Universidade, Maria Luiza Moretti, coordenadora do projeto de cooperação internacional entre a Unicamp e a Universidade de Chiba, no Japão. Na mesa de abertura do evento estavam o embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada e o representante da JICA no Brasil, Masayuki Eguchi.

Cerimônia de agradecimento, presidida pelo reitor Antonio José de Almeida Meirelles, contou com a presença do embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada e o representante da JICA no Brasil, Masayuki Eguchi

De acordo com Masayuki Eguchi, a JICA atua em diversos países. Com a Unicamp, essa parceria começou em 1990, no Gastrocentro. Devido a pandemia, o HC se tornou um hospital de referência para casos de covid-19. Muitos dos profissionais que atuam no projeto MIRE trabalham dentro do HC Unicamp e passaram a trabalhar no atendimento de pacientes com covid-19.

“Nossa missão é a segurança humana. Mediante a solicitação da Unicamp, formalizamos a doação desses equipamentos, na esperança possam auxiliar no tratamento e na defesa dos pacientes internados nas UTIs. Sentimos gratos pelos trabalhos conduzidos pela Unicamp com seriedade, responsabilidade e comprometimento em melhorar a qualidade de vida da população. Vamos empenhar esforços para continuarmos juntos nessa caminhada”, disse Eguchi.

A coordenadora geral da Universidade, Maria Luiza Moretti, destacou o sucesso da colaboração entre a Unicamp e Universidade de Chiba, com o apoio da JICA e do governo do Japão. Moretti ressaltou que a solidariedade da JICA tocou profundamente em quem está na linha de frente do combate à pandemia de covid-19, principalmente os infectologistas, que são chamados para atuarem mais fortemente em momentos que desafiam a saúde pública. A coordenadora geral da Unicamp também frisou que uma parceria duradoura como essa tem que continuar, para que as próximas gerações de pesquisadores, alunos e profissionais de ambas as nações possam trocar experiências pessoais e culturais.

“Quando há o desejo de trabalhar em conjunto, lado a lado em bancadas de laboratório ou assistindo palestras, desenvolvendo pesquisas ou atuando no enfrentamento de doenças, a barreira da língua se torna pequena”, revelou Moretti que há 20 anos desenvolve e mantém parcerias com o governo japonês.

O embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada, declarou seu respeito aos profissionais de saúde do Brasil que travam um combate diário contra à covid-19. Yamada disse que espera que as doações feitas ao HC da Unicamp colaborarem com as atividades assistenciais do hospital.

“Pretendemos continuar colaborando ao máximo com o Brasil no combate à covid-19. Que essa doação sirva para aumentar as relações de cooperação entre Brasil e Japão e os laços entre os brasileiros e os japoneses”, confidenciou Yamada.

O reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles, agradeceu a doação da JICA ao HC e disse que essa colaboração é a mais longa e duradoura da história da Universidade. O reitor reconheceu que o HC da Unicamp tem sido a linha de frente no combate à pandemia de covid-19 e que isso tem reforçado a imagem da Unicamp perante a sociedade.

“Desejamos estabelecer laços duradouros com outros países. Eu gostaria também de solicitar, oficialmente, que os laços fortes até agora estabelecidos entre o Japão e a área da saúde extrapassem para outras áreas de ensino, pesquisa e extensão da Unicamp. Isto, com certeza, unirá mais o povo brasileiro e o povo japonês”, reforçou Meirelles durante seu discurso antes da entrega das placas de homenagem ao embaixador do Japão e ao representante da JICA no Brasil.

Os EPI´s e os equipamentos de alta tecnologia já estão sendo usados para atender os pacientes do hospital

“Enfrentamento da pandemia de cabeça erguida”

De acordo com coordenador de assistência do HC Unicamp, Plínio Trabasso, desde o ano passado, os profissionais de saúde e da administração do HC Unicamp têm trabalhado de forma inabalável para atender os pacientes com covid-19. Segundo Plínio, a doação dos EPI´s e dos equipamentos de alta tecnologia já estão sendo usados para atender os pacientes do hospital.

“Essa doação impactou de forma positiva nossos profissionais e pacientes. Não tenho palavras para agradecer à JICA e ao governo japonês por essa doação”, disse Trabasso.

O superintendente do HC Unicamp, Antonio Gonçalves de Oliveira Filho, durante seu discurso, utilizou dois símbolos da cultura japonesa para expressar a gratidão do hospital pela doação recebida: o Daruma – que representa a esperança e a realização dos sonhos com paciência, perseverança e obstinação e o Bushidô, também conhecido como Caminho do Guerreiro – que representa a justiça, a coragem, a compaixão, a polidez, a sinceridade, a honra e a lealdade.

“É essa esperança que estamos vendo com a nova gestão que se inicia na Universidade. A comunidade HC tem enfrentado com cabeça erguida essa pandemia mundial. Para o nosso Planejamento Estratégico estamos buscando os valores do Bushidô, tão comum na cultura japonesa. É o que queremos na missão do HC. Por isso, kansha – gratidão – ao povo japonês”, disse Antonio Gonçalves.

Também participaram da solenidade no HC Unicamp o secretário da embaixada do Japão, Yasunori Mori; o cônsul-geral do Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana; o chefe do Departamento de Assuntos Gerais e Políticos do Consulado-Geral do Japão em São Paulo, Hiroyuki Ide; o coordenador administrativo do hospital, Rodrigo Bueno Oliveira, chefes de áreas do HC Unicamp, além de outras autoridades da Unicamp e convidados, que seguiram os protocolos sanitários para participarem da solenidade.

Visita ao LEMDI e parceria entre Unicamp e JICA

Após a cerimônia de formalização da entrega das doações da JICA ao HC Unicamp, a comitiva japonesa e autoridades da Unicamp e do HC visitaram o Laboratório de Epidemiologia Molecular e Doenças Infecciosas (LEMDI) da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) Unicamp. Coordenado pela professora da FCM e atual coordenadora geral da Unicamp, Maria Luiza Moretti, o LEMDI.

O laboratório foi fundado em 1993 e montado com recursos da Fapesp. Em 1996, iniciou-se o primeiro projeto colaborativo da Unicamp com a Universidade de Chiba e a Universidade de Toyama, com a ida de professores e alunos de pós-graduação para o Japão e vice-versa. Em seguida, veio um projeto com o apoio da JICA para treinamento na área de doenças infecciosas e HIV de médicos de países africanos de língua portuguesa.

No início de 2000, outro projeto com a Universidade de Chiba, no Japão foi firmado, e em 2017, o laboratório foi contemplado com o Science an Technology Research Partenership for Sustainable Development (SATRESP). O acordo previu o investimento de R$ 5 milhões da JICA durante cinco anos para a realização de pesquisas fúngicas, readequação tecnológica dos equipamentos do LEMDI e a ida e vinda de pesquisadores da Unicamp à Chiba e Nagasaki, suspensos desde o ano passado devido à pandemia de covid-19.

Já a parceria entre a Unicamp e a JICA existe há mais de três décadas. Os investimentos da Agência na Universidade somam em torno de 60 milhões de reais. Em 2019, o Laboratório de Doenças Epidemiológicas e Infecciosas (Lemdi) da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) e instalado dentro do HC Unicamp foi contemplado com um aporte de mais de 5 milhões de dólares para a realização de projetos de pesquisa clínica em infectologia, em parceria com a Universidade de Chiba.

Ainda no mesmo ano, a Unicamp foi contemplada com título de “JICA President Award 2019”. Essa foi a primeira vez na história do órgão governamental japonês que uma universidade estrangeira foi contemplada com a honraria. O Centro de Diagnóstico de Doenças do Aparelho Digestivo (Gastrocentro) também recebeu ao longo da história de cooperação aportes relevantes para o seu funcionamento.

Matéria original publicada no site do HC da Unicamp.