Notícia

Diário do Povo

Unicamp caça novos talentos nas escolas públicas da cidade

Publicado em 31 dezembro 2002

Ciência nas Férias, um programa de estágio em ciência instituído pela Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP) da Unicamp e dirigido a alunos da rede pública de ensino médio, começa a funcionar a partir de janeiro e pretende atrair alunos com um talento especial para a pesquisa.Segundo o pró-reitor de Pesquisa, professor Fernando Costa, cerca de 100 escolas de Campinas e região indicarão até três alunos cada, visando a um projeto para o qual serão selecionados 30 estudantes que desenvolverão atividades programadas em laboratórios de pesquisa da Universidade. O programa utiliza como modelo experiências de estágio de férias em instituições do exterior e um piloto muito bem-sucedido do Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (Cebmeg) da Unicamp. Agora, a prática será estendida a outros laboratórios da Universidade que se interessarem pelo programa.A indicação dos alunos será feita através de formulário próprio e devidamente justificada pela direção das escolas. Os critérios para seleção incluem carta de recomendação de professores da área em que o aluno pretende realizar o estágio, participação em atividades extracurriculares preferencialmente associadas à ciência e desempenho escolar, além de um texto em que o aluno justificará por que deseja realizar o estágio. Costa afirma que um dos objetivos é proporcionar ao aluno de ensino médio o acesso a um ambiente de pesquisa científica em que possa manter contato com estudantes de graduação, de pós-graduação, pesquisadores e professores. "O propósito é que, conhecendo de perto as pesquisas desenvolvidas numa grande universidade, o aluno possa ter seu interesse despertado e direcionar sua carreira para algumas dessas áreas", disse. Os laboratórios da Unicamp interessados em receber um estagiário do programa Ciência nas Férias podem submeter seus projetos à apreciação da comissão julgadora, formada por docentes da Unicamp. Os aprovados receberão auxílio financeiro, obtendo recursos de até uma cota Faep (Fundo de Apoio ao Ensino e à Pesquisa) no valor de R$ 4 mil. O estágio não prevê remuneração aos alunos, que, no entanto, terão direito a auxílio-alimentação, transporte e seguro-saúde. "Trata-se de uma pré-iniciação científica. Com o estágio, os alunos das primeiras e segundas séries ficarão motivados a se dedicarem mais à terceira série, preparando-se melhor para o vestibular da Unicamp ou de outras universidades cuja ênfase seja a pesquisa", explica o professor José Roberto França Arruda, assessor da PRP. De acordo com ele, a procura por carreiras científicas no Brasil.