Notícia

Correio Popular

Unicamp abre congresso de jovens cientistas

Publicado em 21 setembro 1999

Por ADRIANA MIRANDA
Jovens cientistas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) expõem hoje e amanhã no Ginásio Multidisciplinar do campus do Distrito de Barão Geraldo, os projetos desenvolvidos na instituição de ensino superior. O VII Congresso Interno de Iniciação Científica reunirá 441 trabalhos nas áreas de Artes, Biológicas, Exatas e Tecnológicas. Há trabalhos para todos os gostos e campos de conhecimento. Entre eles, estão projetos que apontam o consumo de álcool pelos alunos da Unicamp, mapeiam a questão da evasão na instituição de ensino, a presença de artistas e intelectuais na política brasileira e tratam da arte nas capas de CDs e dos cuidados que os pais devem ter com os seus bebês. A iniciação é a primeira porta para os jovens se movimentarem no ambiente científico, considerou o pró-reitor de Pesquisa, Ivan Chambouleyron. Esses trabalhos são a porte de entrada para a pós-graduação, disse o pró-reitor de Graduação, Angelo Luís Cortelazzo. As agências de fomento a pesquisa costumam descobrir nestes projetos desenvolvidos por alunos dos cursos de graduação os jovens talentos brasileiros que mais tarde farão descobertas revolucionárias, como foi o caso da fibra ótica. A maior parte dos trabalhos expostos no VII Congresso Interno de Iniciação Científica, um total de 245 projetos, é de bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A iniciação científica é permitida a alunos de graduação. Os trabalhos são orientados pelos docentes da universidade. A Unicamp conta com 713 alunos que desenvolvem projetos e têm bolsas. Além do CNPq, são 268 estudantes com bolsas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e 200 do Sistema de Apoio ao Estudante (SAE). Eles ganham em média por mês R$ 250,00 para desenvolverem os projetos nas diversas áreas de conhecimento. Embora a maior parte dos alunos seja de bolsistas, o pró-reitor de Pesquisa, informa que estudantes sem o apoio das agências também podem desenvolver projetos de maneira informal. Acreditamos que existam mais de uma centena nessas condições, apontou. Cortelazzo disse que cerca de 90% dos alunos que participam da iniciação científica ingressam após a conclusão da graduação na pós-graduação. Temos trabalhos na iniciação de nível altíssimo, afirmou. A abertura do congresso dos jovens talentos acontece hoje a partir das 15h30, no salão II do Centro de Convenções da Unicamp. Os cinco melhores painéis serão premiados. O evento é gratuito e aberto a comunidade em geral. Os jovens talentos estarão nos estandes mostrando e explicando os seus trabalhos. Convidamos alunos de escolas públicas do ensino médio e vestibulandos, disse Cam bouleyron. Segundo o pró-reitor de pesquisa, a Unicamp vê na iniciação científica um precioso instrumento parara formação de seus alunos.