Notícia

Correio Popular

Unicamp, 40 Anos - Universidade está no topo do ranking de patentes no País

Publicado em 05 outubro 2006

Segundo o Instituto Nacional da Propriedade Industrial, é a primeira vez que isso ocorre

Pela primeira vez na história do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), uma universidade alcançou o topo do ranking de registros de patentes no Brasil: a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Levantamento realizado pelo instituto apontou que, entre 1999 e 2003, a instituição de ensino campineira fez 191 depósitos contra os 177 realizados pela Petrobras, a segunda colocada. O Inpi considerou apenas as patentes depositaras e excluiu o número de patentes concedidas.
Entre as universidades, a mais próxima da Unicamp é a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que ocupa o décimo lugar, com 66 pedidos. A Universidade de São Paulo (USP) tem 55 depósitos e ocupa a 12 colocação do ranking do Inpi.
De acordo com o documento da Divisão de Estudos e Programas do Centro de Informação do Inpi, entre os pedidos da Unicamp há concentração nas áreas de tratamento de água, esgotos e lamas, e investigação e análise de materiais por suas propriedades físicas e químicas.
Outros desenvolvimentos estão pulverizados em áreas como a de compostos químicos orgânicos com aplicação medicinal, de alimentos, de compostos macromoleculares, de bioquímica e de saúde.
Ao mesmo tempo em que ocupar o primeiro lugar no ranking de registros de patentes foi motivo de orgulho e surpresa para a Agência da Inovação da Unicamp (Inova), o resultado do estudo provocou uma reflexão sobre a distorção existente na inovação tecnológica no País.
No Brasil, a cultura de desenvolvimento da pesquisa e inovação nas empresas é ainda pouco difundida. Há dados que mostram que apenas 27% dos pesquisadores brasileiros estão nas empresas enquanto que 65% estão nas universidades. Nos Estados Unidos, cerca de 80% dos pesquisadores estão nas empresas, desenvolvendo grandes inovações. Roberto Lotufo, diretor-executivo da Inova, ressaltou que a patente não é tão importante para as universidade quanto para as empresas. "Mas, infelizmente, não temos essa cultura no nosso País", diz.

Os números
Relação das dez maiores depositantes de patentes do Brasil
1 — Unicamp 191
2 — Petrobrás 177
3 — Arno 148
4 — Multibrás 110
5 — Semeato 100
6 — Vale do Rio Doce 89
7 — Fapesp 83
8 — Embraco 81
9 — Dana 71
10 — UFMG 66