Notícia

Planeta Universitário

União Europeia e FAPESP firmam parceria para apoio a pesquisas colaborativas

Publicado em 19 março 2015

Representantes da União Europeia e da FAPESP assinaram na quarta-feira (18/03), na sede da Fundação, uma carta de intenção em que se comprometem a apoiar pesquisas realizadas em parceria por pesquisadores de instituições em São Paulo e nos estados-membros da União Europeia por meio do Horizonte 2020, maior programa de apoio à pesquisa e à inovação da Europa.

Em vigor desde 2007, o programa tem orçamento de € 80 bilhões aprovado para pesquisas até 2020, além de investimentos da iniciativa privada, e os recursos estão abertos à comunidade científica internacional. De acordo com os representantes da União Europeia, a parceria com o Brasil e, em especial, com o Estado de São Paulo tem o objetivo de unir esforços para a superação de desafios científicos comuns em diversas áreas do conhecimento.

“Os grandes problemas da ciência são globais e é preciso encontrar respostas igualmente globais para eles. O Brasil é um importante parceiro da União Europeia nos campos político e econômico, mas também há grande potencial para ampliarmos nossa parceria científica, especialmente a partir deste compromisso de cooperação mútua firmado com o Estado de São Paulo, por meio da FAPESP, de onde emerge o maior número de pesquisas do país e de nível extremamente elevado”, disse Ana Paula Zacarias, embaixadora da União Europeia no Brasil, à Agência FAPESP.

A carta de intenção foi assinada por Zacarias e Celso Lafer, presidente da FAPESP, que destacou o interesse mútuo por colaborações científicas.

“A FAPESP apoia uma série de pesquisas realizadas em conjunto por pesquisadores do Brasil e de todo o mundo, e a parceria firmada com a União Europeia vai ao encontro desse trabalho de internacionalização da ciência brasileira fortemente promovido em São Paulo. Por meio do Horizonte 2020, pesquisadores do Brasil e da Europa terão acesso facilitado a novas redes de colaboração científica”, afirmou.

O Horizonte 2020 é estruturado em três pilares: excelência científica, liderança industrial e enfrentamento dos desafios sociais. Entre os objetivos do programa estão a garantia de uma produção científica com impacto global, a remoção de barreiras para a inovação e a facilitação da interação entre os setores público e privado.

A análise das propostas recebidas pelo Horizonte 2020 é realizada pela Comissão Europeia, por meio de avaliadores de diversos países e com formação em diferentes áreas do conhecimento. No âmbito da colaboração entre a FAPESP e o programa, pesquisadores sediados no Estado de São Paulo e em instituições europeias terão a possibilidade de interagir e de desenvolver projetos colaborativos de pesquisa aproveitando as oportunidades oferecidas bilateralmente.

De acordo com Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, que apresentou um panorama da produção científica em São Paulo e das colaborações internacionais da Fundação, o próximo passo da parceria é estabelecer os mecanismos pelos quais será oferecido o apoio conjunto às pesquisas.

“Há diversas possibilidades de apoio à colaboração, seja ela de iniciativa brasileira ou europeia. A FAPESP definirá em conjunto com a Delegação da União Europeia no Brasil em que termos a cooperação poderá ser facilitada, ampliando ainda mais o contato da produção científica nacional com o mundo”, disse.

Entre os temas de interesse mútuo das comunidades científicas brasileira e europeia foram destacadas pesquisas relacionadas ao Oceano Atlântico.

“A exemplo das cooperações entre a União Europeia e o Canadá para pesquisas no Atlântico Norte, os trabalhos realizados na parte sul do oceano poderiam se beneficiar consideravelmente de colaborações com pesquisadores de diferentes procedências, formando uma rede de colaboração que abrangeria toda a sua extensão”, destacou Cristina Russo, diretora de Cooperação Internacional em Ciência, Tecnologia e Inovação da Comissão Europeia.

De acordo com o documento assinado, a FAPESP e a Delegação da União Europeia no Brasil agirão em conjunto, de forma a facilitar a interação entre pesquisadores na Europa e em São Paulo e a identificação de temas de interesse, seguindo os procedimentos do programa Horizonte 2020 e da Fundação.

Foram destacados ainda potenciais de colaboração em áreas multidisciplinares que envolvem desafios sociais globais, como mudanças climáticas, mobilidade e sustentabilidade, energias renováveis, segurança alimentar e transformações demográficas.

Também participaram da reunião para a assinatura da carta de intenção Piero Venturi, chefe do setor de Ciência, Tecnologia e Inovação da União Europeia no Brasil; Domenica Bruma, responsável pela política para assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação e Relações com o Brasil da Comissão Europeia; Eduardo Moacyr Krieger, vice-presidente da FAPESP; Marilda Solon Teixeira Bottesi, assessora especial da Diretoria Científica da FAPESP; e Glenda Mezarobba, gerente para colaborações em pesquisa da FAPESP.

Mais informações sobre o Horizonte 2020 estão disponíveis em ec.europa.eu/programmes/horizon2020

Agência FAPESP